Controlador do Grupo Petrópolis entra na lista de procurados da Interpol

Redação

walter faria grupo petrópolis denúncia lava jato rock city lavagem de dinheiro odebrecht habeas corpus trf-4

O empresário Walter Faria, controlador do grupo Petrópolis, foi adicionado à lista da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) nesta quarta-feira (31), mesmo dia em que foi alvo da 62.ª fase da Lava Jato. A Interpol é responsável por buscar e prender pessoas procuradas pela Justiça dos países.

Durante a manhã, quando os policiais federais cumpriam os mandados da operação, ele não foi encontrado em casa. “Não é a melhor nomenclatura neste momento. (A pessoa) é foragida quando temos certeza que ela tem conhecimento. Houve busca nos grupos empresariais no qual ele é responsável e não conseguimos alcaçá-lo em casa. Não temos certeza que ele tem conhecimento do mandado, mas foram cumpridos mandados na casa dele”, explicou o delegado Thiago Giavarotti, em coletiva durante a manhã.

A nova fase da Lava Jato, chamada Rock City, investiga o envolvimento de executivos do grupo Petrópolis na lavagem de dinheiro desviado de contratos públicos, especialmente da Petrobras, pela Odebrecht.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Walter Faria teria usado uma conta na Suíça para intermediar o repasse de mais de US$ 3 milhões de propina relacionadas aos contratos dos navios-sonda Petrobras 10.000 e Vitória 10.000. Ou seja, ele teria atuado na lavagem de milhões de reais em contas fora do Brasil, como um “grande operador de propina”. O Grupo Petrópolis teria lavado, de acordo com as autoridades, cerca de R$ 329 milhões entre 2006 e 2014.

Previous ArticleNext Article