Política
Compartilhar

Ana Júlia Ribeiro toma posse como vereadora na Câmara de Curitiba

A parlamentar de 22 anos substitui Renato Freitas, cassado por quebra de decoro. Em discurso, afirmou dar continuidade ao trabalho do ex-vereador.

Johan Gaissler - 04 de julho de 2022, 15:35

(Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
(Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Ana Júlia Ribeiro (PT) tomou posse como vereadora na tarde desta segunda-feira (4) na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). Ela substitui Renato Freitas, cassado por quebra de decoro parlamentar ao ocupar um templo religioso.

No discurso de posse, ela afirmou que dará continuidade ao trabalho do ex-vereador e chamou o processo contra Freitas de "injusto e desproporcional".

"Se ele foi cassado pelo que representa e por sua origem, digo que cassaram muito mal porque também vim da escola pública e da classe trabalhadora. Chego à essa casa para representar os movimentos sociais e as lideranças que me apoiaram em 2020”, disse Ana Júlia.

Nas eleições de 2020, estreou em campanhas eleitorais e recebeu 4.538 votos, ficando numericamente à frente de outros vereadores eleitos. Porém, pela distribuição proporcional, ficou como primeira suplente do Partido dos Trabalhadores.

Emocionada no discurso de hoje, disse que assume o mandato num momento que não gostaria, e que irá lutar pelo retorno de Renato Freitas: “Não chego nessa casa nas circunstâncias que planejei. Nem no momento que eu queria ou pelo motivo certo”.

Ana Júlia Ribeiro é estudante universitária dos cursos de Direito e Filosofia. Ficou conhecida em 2016, quando foi uma das lideranças estudantis secundaristas que ocupou escolas públicas, contra a proposta de reforma na educação, feita pelo então governo Michel Temer (MDB).

A nova vereadora tem 22 anos e se torna a mais jovem da atual legislatura. Com ela, são nove representantes mulheres num total de 38 parlamentares. Além dela, são vereadoras na CMC:

  • Amália Tortato (Novo)
  • Carol Dartora (PT)
  • Flávia Francischini (União Brasil)
  • Indiara Barbosa (Novo)
  • Maria Letícia (PV)
  • Noemia Rocha (MDB)
  • Professora Josete (PT)
  • Sargento Tânia Guerreiro (União Brasil)

CASSAÇÃO DE RENATO FREITAS E POSSE DE ANA JÚLIA

Renato Freitas (PT) teve o mandato de vereador cassado após participar de um protesto contra o racismo. O movimento terminou numa ocupação à Igreja Nossa Senhora do Rosário, no Largo da Ordem, em Curitiba.

Após repercussão, a Câmara Municipal de Curitiba instaurou um processo para julgar o petista por quebra de decoro parlamentar. Após aprovação no Conselho de Ética, a perda do mandato foi aprovada em plenário por 25 votos favoráveis e cinco contrários, em segundo turno.

Renato Freitas afirmou que vai recorrer da decisão, que também o deixa inelegível por oito anos. Com a cassação, Ana Júlia foi convocada para assumir a cadeira do Partido dos Trabalhadores, que elegeu três parlamentares nas eleições municipais de 2020, em Curitiba.