Política
Compartilhar

Após pedir voto de funcionários a Bolsonaro, presidente do Condor assina termo com MPT para não ser multado

O presidente do Grupo Condor, Pedro Joanir Zonta, assinou, nesta terça-feira, um acordo com o MPT-PR para a divul..

Roger Pereira - 02 de outubro de 2018, 20:55

O presidente do Grupo Condor, Pedro Joanir Zonta, assinou, nesta terça-feira, um acordo com o MPT-PR para a divulgação de nota de esclarecimento sobre a carta encaminhada aos trabalhadores da rede de supermercados na última segunda-feira (1).

O documento já foi encaminhado, ao término da audiência, ao grupo de WhatsApp que recebeu a carta. Na sequência, será também enviado para todos os trabalhadores que tenham acesso ao-mail institucional da rede de supermercados. Além disso, a carta deverá ser impressa e afixada junto aos sistemas de registro de ponto, em substituição à anterior.

Em até 48 horas, deverá ser publicado um texto, no site do Condor, com um extrato da nota pública do Ministério Público do Trabalho, assinada nesta segunda-feira pelo procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury.

Em caso de descumprimento do acordo, o MPT estabeleceu multa diária de R$100 mil.

 

Confira a íntegra da retratação de Zonta:

 

Aos trabalhadores do Grupo Condor

Eu, Pedro Joanir Zonta, fundador do grupo Condor, em cumprimento a termo de compromisso

celebrado junto ao Ministério Público do Trabalho sob nº 425.2018, venho nesta carta

apresentar esclarecimentos em relação a carta encaminhada anteriormente sobre eleições

presidenciais.

Enquanto dirigente do grupo Condor, entendo que a liberdade de consciência, convicção

política ou filosófica, a intimidade e a vida privada são direitos fundamentais assegurados a

homens e mulheres e devem ser respeitados nas relações de trabalho.

Em decorrência de tais direitos, compreendo que está vedado ao empregador a prática de

qualquer ato que venha a induzir qualquer empregado a seguir uma determinada crença ou

convicção política, filosófica ou ideológica, conforme previsto no art. 7º, XXX da Constituição

Federal e, expressamente, na Convenção 111 da OIT.

A rede Condor, em respeito à intimidade e à liberdade do cidadão trabalhador, vem informar

que respeita as leis brasileiras e os tratados de direitos humanos, e que não tolera a imposição

ou direcionamento nas escolhas políticas dos empregados durante o processo eleitoral. Em

consequência desse posicionamento, qualquer ato praticado em sentido contrário está

expressamente desautorizado e os responsáveis estarão sujeitos a punição disciplinar.

Trabalhador: vote livre e consciente! Em caso de desrespeito aos seus direitos denuncie:

www.mpt.mp.br. Aplicativo Pardal (App IOS ou Android).

Grande abraço,

Pedro Joanir Zonta