Assembleia tem semana sem recesso e sem pauta, mas com polêmicas

Redação


Na Assembleia Legislativa do Paraná, os deputados estão trabalhando no período que seria do recesso. Porém  as sessões estão mais rápidas,só que as polêmicas tem rodeado o legislativo. A Assembleia não terá  a famosa pausa no meio do ano, que acontece do dia 18 a 31 de julho.  O motivo foi a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, a LDO, que não foi votada e aguarda a votação de leis no congresso.

As críticas começaram porque a pauta de segunda feira não teve nenhum item em sessão ordinária e os projetos foram colocados em duas sessões extraordinárias. Segundo os deputados da oposição, a prática foi feita para que deputados que estavam ausentes não tivessem a falta descontada do salário, já que em sessões extraordinárias os deputados não tem obrigatoriedade de presença, de acordo com o regimento interno. O deputado Ademar Traiano (PSDB), presidente da Alep, negou a manobra e disse que houve a presença de 42 deputados na casa, e que os projetos foram votados dessa forma porque não havia tempo hábil para colocar em plenário na votação ordinária, já que os projetos transitavam por comissões da casa. Muitos deputados criticam o cancelamento do recesso e dizem que tudo e manobra para colocar o projeto do governo que retira o reajuste dos professores da LDO em um momento mais oportuno.

Governo cria 43 novos Cargos de comissão na secretaria da cultura

O governo enviou uma mensagem para a Assembleia criando 43 cargos de comissão para os setores administrativos e financeiros do teatro Guaíra. A justificativa é que foram extintos 81 cargos de comissão existentes que eram ocupados pelo corpo artístico do teatro e também pelo administrativo financeiro.  Uma ação do Ministério Público considerou ilegal contratar em cargos de comissão artistas. Por isso foi criada uma entidade sem fins lucrativos para que os bailarinos e a orquestra sejam contratados por esta entidade e passem por concurso público. Já os cargos administrativos permanecem em comissão, o que teve severas críticas de alguns deputados da oposição que acham melhor fazer um concurso público para todo o efetivo do teatro.

Concurso público

Outro tema que não agradou a todos foi o cancelamento do concurso público para funcionários efetivos da Assembleia. O concurso foi anunciado pelo deputado Ademar Traiano e deveria acontecer ainda este ano. Seriam contratados cerca de 100 funcionários com cargos de nível médio e superior, por orientação do ministério público. Os salários variavam de três mil e duzentos a nove mil reais. A justificativa para o cancelamento foi que funcionários que iriam se aposentar decidiram continuar trabalhando. “Sou responsável, não vou inflar o quadro de funcionários da casa para agradar concurseiros”, disparou o Deputado Traiano.

Parlamento Universitário

A sessão desta quarta feira, dia 20 de julho, será às 10 horas da manhã na Assembléia. Semana que vem os deputados não devem ter atividades na casa. De acordo com o presidente Ademar Traiano (PSDB), o motivo é um compromisso firmado com jovens estudantes de direito da Universidade Federal do Paraná, que participarão do Parlamento Universitário. Projeto da Assembléia em parceria com o Partido Democrático Universitário, em que os alunos viverão o dia a dia dos deputados na Assembleia. “Esse projeto poderia muito bem ser feito n plenarinho, é uma desculpa para postergar a votação da LDO”, explicou o Deputado Tadeu Veneri do PT.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="373745" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]