Augusto Aras é contra apreensão de celular de Bolsonaro

Redação


Augusto Aras, procurador-geral da República, se manifestoucontra a apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao STF (Supremo Tribunal Federal).

O procurador entendeu que a investigação é competência do MPF (Ministério Público Federal), então, não cabe intervenções de terceiros no processo como, por exemplo, partidos e parlamentares.

Augusto Aras disse que “as diligências necessárias serão avaliadas na apuração do curso”. Agora, cabe ao decano do Supremo avaliar se o celular deve ser apreendido ou não.

GSI DIZ QUE APREENSÃO DE CELULAR DE BOLSONARO É INCONCEBÍVEL

Na ultima sexta-feira (22), o ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, afirmou que o pedido de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro é “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável”.

Mais cedo, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Celso de Mello mandou a PGR (Procuradoria-Geral da República) se manifestar sobre a possibilidade. O magistrado é o relator do inquérito que apura supostas interferências do presidente na autonomia da PF (Polícia Federal).

A solicitação de apreensão do celular de Bolsonaro foi feita por alguns partidos políticos. O pedido aconteceu durante o inquérito que investiga uma suposta interferência política do presidente na PF (Polícia Federal).

Previous ArticleNext Article