Política
Compartilhar

Band adia debate presidencial após ausências de Lula e Bolsonaro

Nova data está prevista para o final de agosto. Já a CNN Brasil, pelo mesmo motivo, cancelou o encontro entre os candidatos.

Redação - 27 de julho de 2022, 12:19

(Fotos: Ricardo Stuckert/PT e Isac Nóbrega/PR)
(Fotos: Ricardo Stuckert/PT e Isac Nóbrega/PR)

A Band decidiu adiar o debate presidencial marcado para o dia 14 de agosto. A nova data está prevista para o dia 28 do mesmo mês, após os líderes nas pesquisas, Lula (PT) e Bolsonaro (PL), ainda não terem confirmado presença.

Segundo o jornalista Fábio Zanini, da Folha de São Paulo, mesmo com as atuais ausências do petista e do atual presidente da República, a emissora paulistana não desistiu de fazer o encontro com os candidatos ao Palácio do Planalto.

A Band não se manifestou nas mídias oficiais sobre troca da data do debate. Já a concorrente CNN Brasil comunicou na terça-feira (26) que o primeiro debate entre os presidenciáveis, que seria realizado por ela no dia 6 de agosto, foi cancelado pelo mesmo motivo.

De acordo com o colunista Maurício Stycer, do UOL, a CNN negocia com a Band e o SBT para ser realizado um encontro com os presidenciáveis organizado por um grupo formado pelas três emissoras.

Essa ideia é defendida pela campanha de Luiz Inácio Lula da Silva, que deseja participar de apenas dois ou três debates durante o primeiro turno. 

O presidente Bolsonaro, por sua vez, indicou que não deve participar no primeiro turno. A decisão, porém, pode ser mudada caso ele vá ao segundo turno e/ou se Lula confirmar presença.

LULA E BOLSONARO LIDERAM A CORRIDA PRESIDENCIAL

Lula e Bolsonaro lideram a corrida presidencial até o momento, segundo os institutos de pesquisas de opinião. No período atual, convenções partidárias são realizadas para confirmar as candidaturas. Ambos já oficializaram a entrada nas eleições.

Lula terá como vice na chapa o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB). Já Bolsonaro trocará o vice nesta eleição: sai Hamilton Mourão (Republicanos) para a entrada de Walter Braga Netto (PL). Os dois são generais do Exército Brasileiro.

Além de Lula e Bolsonaro, as eleições de 2 de outubro deste ano têm como presidenciáveis:

  • Ciro Gomes (PDT)
  • Simone Tebet (MDB)
  • André Janones (Avante)
  • Felipe D'Ávila (Novo)
  • Vera Lúcia (PSTU)
  • Sofia Manzano (PCB)
  • Pablo Marçal (PROS)
  • José Maria Eymael (DC)
  • Luciano Bivar (União Brasil)
  • Leonardo Péricles (UP)