Ajuste fiscal

O segundo projeto do “pacotaço” de Richa prevê um ajuste na estrutura administrativa do estado. Uma das medidas propõe a extinção do Instituto de Florestas do Paraná, que seria incorporado ao ITCG, o Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná. A economia anual pode chegar a R$ 3,3 milhões. A adoção de outras medidas administrativas ainda pode gerar redução de gastos de cerca de R$ 40 milhões por ano. É mais uma etapa do ajuste fiscal iniciado em 2014, afirmou o secretário Mauro Ricardo Costa.

“É mais uma etapa do ajuste fiscal que iniciamos em 2014 e que nos permite hoje gerar recursos para investimentos consistentes e pagar todos os nossos compromissos em dia, inclusive os salários de servidores e as despesas com fornecedores”, afirmou.

As medidas, caso aprovadas pela Assembleia Legislativa, devem ser regulamentadas pelo Poder Executivo, por meio de decretos. O objetivo do governo é economizar até R$ 100 milhões por ano.