Boca Aberta não vota na eleição da Câmara por horário da prisão domiciliar

Redação

Boca Aberta não vota na eleição da Câmara por horário da prisão domiciliar

O deputado federal Boca Aberta (Pros-PR) não conseguiu votar na eleição para presidente da Câmara dos Deputados, após a votação não começar antes das 21h, horário em que o parlamentar deve regressar para residência e cumprir pena de prisão domiciliar.

A pena prevê que o parlamentar deve ficar retido em sua residência das 21h às 6h e como o discurso dos candidatos à presidência da Câmara dos Deputados ultrapassou esse horário, Boca Aberta teve que deixar o plenário sem direito a voto.

O parlamentar foi condenado no dia 22 de janeiro pela Justiça do Paraná pelo crime de perturbação do sossego, após invadir uma UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) de Londrina, região norte do Paraná, e tentar filmar funcionários do hospital.

Boca Aberta se defendeu nas redes sociais apontando que havia recebido denúncias de eleitores sobre irregularidades na UPA. Mas o deputado não conseguiu comprovar essas suspeitas.

A Justiça condenou o deputado a 17 dias de prisão em regime semiaberto, sendo que o parlamentar se apresentou para cumprir a pena no dia 26 de janeiro.

Nas eleições gerais de 2018, Boca Aberta foi eleito deputado federal com 90.158 votos, tendo conseguido também ‘puxar’ votos para o filho (Boca Aberta Jr) no pleito para deputado estadual.

LEIA MAIS: Rodrigo Pacheco é eleito presidente do Senado com apoio de Bolsonaro e Alcolumbre

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="743013" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]