Bolsonaro ataca Alexandre de Moraes: chegou ao STF por amizade com Temer

Redação


Após afirmar que AGU (Advocacia-Geral da União) irá recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra a decisão que barrou a nomeação de Alexandre Ramagem, Jair Bolsonaro (sem partido) atacou Alexandre de Moraes.

“Não justifica a questão da impessoalidade…como é que o senhor Alexandre de Moraes foi para o Supremo? Amizade com o senhor Michel Temer. Ou não foi?”

Em seguida, justificou que amizade não está prevista como uma cláusula impeditiva para alguém tomar posse no governo.

“Eu conheci o Ramagem um dia depois do segundo turno. Por que um dia depois? Porque a PF resolveu trocar algum dos seus delegados porque achava que eu, como presidente eleito, deveria ter um cuidado mais especial do que vinha tendo. E é uma pessoa competente segundo a própria PF. E aí a relação de amizade.”

‘QUASE TIVEMOS UMA CRISE INSTITUCIONAL’, DIZ BOLSONARO NO PALÁCIO DA ALVORADA

Antes de viajar para Porto Alegre, na manhã desta quinta-feira, Bolsonaro disse que ficou chateado com a decisão de Moraes de suspender a nomeação de Ramagem.

“Eu respeito a constituição e tudo tem um limite…nós estamos discutindo um novo nome, uma nova composição para a gente fazer que a Polícia Federal, realmente agora, tenha isenção e ajude o Brasil com o trabalho que ela sempre fez, desde a sua existência”

Além disso, afirmou que AGU irá recorrer da decisão e disse esperar que seja tão rápida quanto a liminar que suspendeu a nomeação.

“Tirar em uma canetada, desautorizar o presidente da república com uma canetada, dizendo impessoalidade…ontem quase tivemos uma crise institucional. Faltou pouco. Eu apelo a todos que respeitem a constituição (…) eu não engoli ainda essa decisão do senhor Alexandre de Moraes. Não engoli. Não é essa forma de tratar um chefe do executivo que não tem uma acusação de corrupção.”

ALEXANDRE DE MORAES SUSPENDE NOMEAÇÃO DE ALEXANDRE RAMAGEM

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da Polícia Federal. A posse de Alexandre Ramagem  estava marcada para a tarde desta quarta-feira (29).

A decisão do ministro se baseia em um pedido do PDT, que alega desvio de finalidade na nomeação de Ramagem. O partido alega ainda que a intenção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao nomear Alexandre Ramagem para a direção da PF, seria atender a interesses particulares e não  aos interesses públicos.

Para ler a decisão do Ministro Alexandre de Moraes na íntegra acesse aqui.

Previous ArticleNext Article