Bolsonaro faz novo aceno ao mercado e diz que Silva e Luna terá autonomia na Petrobras

Angelo Sfair

jair bolsonaro, bolsonaro, joaquim silva e luna, silva e luna, itaipu, petrobras, mercado, estatal, roberto castello branco.jpg

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma série de elogios ao general Joaquim Silva e Luna, indicado por ele para assumir a presidência da Petrobras, e nega que tenha agido de forma intervencionista ao demitir Roberto Castello Branco.

Em visita ao Paraná, nesta quinta-feira (25), sem citar o atual administrador da estatal, o presidente afirmou que as empresas públicas precisam de “visão de social”A frase é uma referência ao preço do combustível, principal atrito do Planalto com a gestão Castello Branco.

Em aceno ao mercado, Bolsonaro afirmou que Silva e Luna terá liberdade para atuar na Petrobras sem interferências políticas, e destacou a capacidade de gestão do general, que nos últimos dois anos esteve à frente da Itaipu Binacional.

“Uma estatal, seja ela qual for, tem que ter sua visão de social. Não podemos admitir uma estatal com um presidente que não tenha essa visão”, afirmou Bolsonaro, sem citar diretamente Castello Branco.

Na sequência, ele fez um novo aceno ao mercado de que suas atitudes não são intervencionistas.

“Então, previsibilidade nós temos que ter. Nós temos que nos antecipar aos problemas e ter visão de futuro”, continuou Bolsonaro, tentando afastar a imagem de intervencionista.

Na presença de autoridades locais e nacionais – entre elas o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o indicado para assumir Itaipu Binacional, o General João Francisco Ferreira – Jair Bolsonaro agradeceu a Silva e Luna por ter aceitado o convite para administrar a Petrobras.

A indicação ainda precisa ser ratificada pelo Conselho de Administração da estatal. Ao mercado, o presidente da República afirmou que “aqueles que dependem do produto da Petrobras vão se surpreender com o seu trabalho”.

Bolsonaro esteve em Foz do Iguaçu, nesta quinta-feira (25), onde participou do lançamento do programa de revitalização da subestação de Furnas, fundamental para a distribuição de energia produzida pela hidrelétrica de Itaipu.

O sistema de corrente contínua de alta tensão tem 36 anos e é responsável por transmitir a energia produzida pela Usina Hidrelétrica de Itaipu para abastecer outras regiões do Brasil, sobretudo os estados do Sudeste.

A revitalização é considerada estratégica tanto para o Brasil quanto para o Paraguai.

Essa foi a oitava visita de Bolsonaro ao Paraná desde que assumiu a presidência da República. Após cumprir a agenda entre o final da manhã e o início da tarde de hoje (25), o chefe do Executivo retornou à Brasília.

Previous ArticleNext Article