Bolsonaro pede adiamento das manifestações pró-governo em pronunciamento

Redação

bolsonaro discurso coronavírus live pronunciamento

Jair Bolsonaro disse que os casos de coronavírus devem aumentar nas próximas semanas, mas que isso não é motivo de pânico na população. O presidente faz um pronunciamento à nação em cadeia nacional de rádio e televisão na noite desta quinta-feira (12). Mais cedo, ele fez a tradicional ‘live’ em suas redes sociais ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

O presidente ainda solicitou que as manifestações pró-governo marcadas para este domingo (15) sejam adiadas. “Por recomendações das autoridades sanitárias, devemos evitar grandes concentrações públicas. Os movimentos espontâneos e legítimos marcados para do dia 15 de março demonstram o amadurecimento da nossa democracia presidencialista e são expressões evidentes de nossa liberdade, mas diante dos fatos precisam ser repensados”.

Bolsonaro entretanto deixou claro que defende essa manifestação, que tem como um dos principais alvos a atuação do Congresso Nacional. “O povo está atento e exige atenção e respeito a constituição e zelo ao dinheiro público, por isso as motivações das manifestações continuam vivas e inabaláveis”, finalizou.

SOB SUSPEITA DO CORONAVÍRUS

Jair Bolsonaro aguarda pelo resultado dos exames para detectar – ou não – a presença de coronavírus. A recomendação médica é ele ficar no Palácio do Planalto até receber os resultados dos testes. A previsão é que eles sejam divulgados nesta sexta-feira (13).

Além disso, a idade de Bolsonaro – que fará 65 anos no próximo dia 21 – preocupa pela taxa de mortalidade do coronavírus ser alta entre os idosos. Contudo, segundo o UOL, ele não apresentou nenhum sintoma da doença.

O monitoramento está sendo feito a todos os integrantes da comitiva do governo federal que foi aos Estados Unidos, principalmente depois que Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência, testou positivo para a doença.

O terceiro filho mais velho do presidente, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), também realizou exame nesta quinta-feira (12). Já o ministro Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, segue nos Estados Unidos, mas cancelou todos os compromissos da sua agenda.

BOLSONARO FAZ LIVE DE MÁSCARA

Bolsonaro e ministro da Saúde fizeram live de máscara. (Reprodução / Facebook)

Como é de costume, Bolsonaro fez sua live no Facebook às 19h. Ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ele falou sobre o coronavírus e explicou o motivo de estar com a máscara.

“Nessa recente viagem, uma das pessoas que veio comigo no voo, foi fazer os exames e deu positivo”, justificou, enquanto o ministro deu explicações sobre prevenção e os perigos do novo Covid-19.

Sobre a viagem aos Estados Unidos, Bolsonaro ainda falou da reunião com Donald Trump e do acordo assinado.

“Assinamos um grande acordo de defesa. Onde está incluindo pesquisa, desenvolvimento. Caso o Congresso aprove, seremos o quinto país a fazer o acordo. Defesa é investimento”, completou.

Por fim, Bolsonaro ainda desabafou sobre a escolha para o cargo de ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Celso de Mello se aposentará neste ano, o que abrirá uma vaga para decisão do presidente.  “A escolha é minha e vai ter que confiar em mim”, finalizou.

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Quinta-feira, 12 de março de 2020

Previous ArticleNext Article