Coronavírus: Bolsonaro vai sancionar projeto que libera R$ 60 bilhões a estados

Mirian Villa

bolsonaro constantino narloch coppolla lacombe

Na manhã desta quinta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou de uma reunião com os governadores de todos os estados para discutir a ajuda financeira para enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

No início da reunião, Bolsonaro disse que o objetivo da videoconferência era diminuir os efeitos da crise. “Temos que trabalhar em conjunto a sanção de um socorro aos governadores, de aproximadamente, 60 milhões (…) o que se pede, é apoio dos senhores na manutenção de um veto muito importante.”

O veto que o presidente citou se refere ao congelamento de reajustes na remuneração de servidores públicos até o fim de 2021. “É o remédio menos amargo, mas de extrema importância para todos os 210 milhões de brasileiros.”

Após Bolsonaro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) conversaram com os governadores.

Na sua fala, Maia afirmou que o projeto foi construído no Congresso Nacional, junto com o Governo Federal, e que vem à sanção em um momento muito importante no enfrentamento à crise.

Ele também lembrou da importância da união entre os estados, municípios e o governo federal para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. “A união de todos vai criar com certeza as condições para que, em um segundo momento, possamos tratar do pós-pademia, da recuperação econômica, e da recuperação dos empregos”, disse Maia.

Já Alcolumbre, reforço que à crise que estamos enfrentando é “sem precedentes” e, lembrou aos presentes que, no futuro, eles seriam lembrados pelas atitudes que tomaram nesse momento.

“Nós temos responsabilidades com 210 milhões de brasileiros. Após essa pandemia, o nosso país terá muito mais desigualdade, as diferenças nas classes sociais ampliará”, afirmou o presidente do Senado.

Em seguida, os governadores Reinaldo Azumbuja, do Mato Grosso do Sul, Renato Casagrande, do Espírito Santo, e João Doria, de São Paulo, falaram sobre o projeto. Todos reforçaram que a união é o que irá fazer o país enfrentar à pandemia e também falaram sobre a expectativa de receber a ajuda financeira ainda neste mês.

“O Brasil precisa estar unido para vencer a crise, ajudar e proteger a saúde. O nosso foco, nesse momento, é proteger os brasileiros em todo Brasil. A existência de uma guerra coloca todos em derrota, ninguém ganha em uma guerra, principalmente os mais pobres e humildes”, afirmou Doria.

Previous ArticleNext Article