“Depois da facada, gripezinha não vai me derrubar”, diz Bolsonaro sobre coronavírus

Redação

Bolsonaro vai entregar resultados de exames de coronavírus ao STF

Jair Bolsonaro disse, nesta sexta-feira (20), não ter medo de contrair o novo coronavírus. Aos 64 anos, o presidente está no grupo de risco da doença.

“Depois de uma facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar, tá ok? Se o médico ou o Ministério da Saúde recomendar um novo exame, eu farei. Caso contrário me comportarei como qualquer um de vocês aqui presente”, disse ele ao encerrar entrevista coletiva dada nesta sexta-feira (20).

Apesar de não ter divulgado nenhum exame, Bolsonaro afirma que seus dois testes deram resultado negativo para o COVID-19.

Entretanto, 23 pessoas que participaram da comitiva do governo federal aos Estados Unidos já foram diagnosticadas com a doença. Entre eles, estão os ministros General Heleno, da GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e Bento Albuquerque, de Minas e Energia, além de Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação.

MINISTRO SAI EM DEFESA DE BOLSONARO

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fez um apelo para que deixem de insistir no resultado do presidente.

“O presidente tem um médico pessoal, que o acompanha diariamente”, ressaltou.

Mandetta disse que o governo identificou hackers tentando conseguir listas de pessoas públicas infectadas. Além disso, ele ressaltou que 85% das pessoas que contraírem o coronavírus podem apresentar, no máximo, sintomas leves. Ou seja, não terão qualquer complicação da doença.

“Tem gente entrando dentro de computador de laboratório para saber se artista, apresentador, cara da novela, fizeram o exame. Não pode ser assim, calma”, completou.

MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMA 11 ÓBITOS

Segundo o balanço feito pelo Ministério da Saúde, o coronavírus já causou 11 mortes no país e tem 904 pessoas infectadas.

No Paraná, um médico está internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), em estado grave.

Previous ArticleNext Article