Brasil terá segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad

Fernando Garcel


Com mais de 96% dos votos apurados, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já confirma o segundo turno entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Bolsonaro tem 46,66% dos votos válidos e não tem mais chance matemáticas de fechar com mais de 50% dos votos. Fernando Haddad (PT) está com 28,43%.

Ciro Gomes (PDT), recebeu 12,52% dos votos. Ele é seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 4,82% e João Amoedo (Novo), com 2,57%. Os votos em branco somam 2,67% e os nulos, 6,11%. Até o momento, a abstenção registrada é 20,33%.

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) teve a maioria dos votos válidos em 16 estados e no Distrito Federal. Fernando Haddad (PT) ganhou em nove estados, a maioria no Nordeste. Ciro Gomes teve a maior votação apenas no Ceará, com 41% dos votos válidos. Bolsonaro e Haddad voltam a se enfrentar no segundo turno no dia 28 de outubro.

Bolsonaro fez um discurso após o anúncio do resultado do primeiro turno. Ele disse que não será fácil o segundo turno em função do “poder econômico do PT”. “Nós não podemos continuar flertando com comunismo e socialismo”. O candidato criticou o adversário petista e também a mídia. Bolsonaro acrescentou que é preciso “jogar pesado na questão da segurança”. Ele acrescentou que tem “como mudar o destino da nação” e pediu que a militância continue mobilizada até dia 28 de outubro (data do segundo turno das eleições).

Haddad admitiu que o resultado expressivo em favor do adversário, o que vai representar um desafio para a campanha dele. “Nós vamos para o campo democrático com uma única arma: o argumento. Nós vamos com a força do argumento para defender o Brasil e o seu povo. Principalmente o povo mais sofrido do país”, declarou.

Ciro Gomes agradeceu a votação que o colocou em terceiro colocado na disputa eleitoral. Ainda sem garantir apoio a Fernando Haddad, segundo colocado na disputa, Ciro afirmou que está “do lado da democracia” e contra o fascismo. Ele também repetiu o bordão da campanha anti-Bolsonaro: “uma coisa está decidida: ele não, sem dúvida”.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="560474" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]