Política
Compartilhar

Câmara aprova R$ 174 milhões ao transporte público de Curitiba

Projeto foi enviado pelo prefeito Rafael Greca aos vereadores em abril. Valor do subsídio deve ser encaminhado ao Fundo de Urbanização de Curitiba.

Johan Gaissler - 30 de maio de 2022, 13:13

(Foto: Lucília Guimarães/SMCS)
(Foto: Lucília Guimarães/SMCS)

A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) aprovou no inicio da tarde desta segunda-feira (30) uma abertura de crédito suplementar de R$ 174 milhões para subsidiar o transporte público da capital paranaense. O projeto foi enviado pelo prefeito Rafael Greca (União Brasil) aos vereadores em abril.

A proposta passou por aprovações em comissões da CMC até chegar no primeiro turno da votação em plenário. O valor total de R$ 174.113.500,00 deve ser encaminhado ao Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), administrado pela Urbanização de Curitiba (Urbs). 

De acordo com a Prefeitura de Curitiba, do valor total, aproximadamente R$ 132 milhões devem ser utilizados para equilibrar a diferença entre a tarifa social (paga pelos usuários, de R$ 5,50) e a tarifa técnica (que representa o custo real por passageiro, de R$ 6,37). Já os quase R$ 42 milhões restantes devem ser aplicados em uma manutenção do sistema para 2022.

Já o descritivo técnico do projeto de lei aprovado na Câmara de Curitiba aponta que R$ 163,7 milhões irão para serviços de pessoa jurídica; R$ 9,15 milhões para a contratação de empresa terceirizada na área de serviços de tecnologia da informação; e R$ 1,25 milhão para materiais de consumo.

A tramitação do projeto que subsidia o transporte público da capital paranaense deve ser finalizada na terça-feira (31) na Câmara Municipal de Curitiba.

VEREADORES SE POSICIONARAM ANTES DA VOTAÇÃO NA CÂMARA

Os vereadores de Curitiba se posicionaram e discutiram o projeto em sessão plenária antes da votação na Câmara Municipal. Quase todas as lideranças e bancadas falaram.

O líder do prefeito Rafael Greca, Pier Petruzziello (PP), recomendou a aprovação do valor e falou sobre o modelo de contrato feito pela Urbs com as empresas do transporte público da capital. 

"O Ministério Público questionou esse contrato judicialmente e não há erro, nada de ilegal. A gente lamenta, mas infelizmente esse contrato vai até 2025", disse Pier.  

Já a líder da oposição, Professora Josete (PT), recomendou pela não aprovação da abertura de crédito suplementar de R$ 174 milhões ao Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC).

"Não podemos ficar à mercê de um contrato que nos leva a uma tarifa abusiva", disse a vereadora.