câmara de apucarana
Compartilhar

PF tem até segunda para interrogar Bendine, alvo da 42ª fase da Lava Jato

Repórter Tabata Viapiana da CBN CuritibaA Polícia Federal não confirmou oficialmente a data do interrogatório do ex-pres..

Andreza Rossini - 28 de julho de 2017, 12:07

Repórter Tabata Viapiana da CBN Curitiba

A Polícia Federal não confirmou oficialmente a data do interrogatório do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás Aldemir Bendine, mas ele só deve ser ouvido na próxima segunda-feira (31).

ANÚNCIO

Enquanto isso, os investigadores analisam os materiais apreendidos na 42ª fase da Lava Jato, batizada de Operação Cobra. Bendine permanece detido na superintendência da PF, no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Ele foi preso na manhã desta quinta-feira (27) em Sorocaba, em São Paulo, sem apresentar resistência. O ex-presidente da Petrobras foi transferido de carro para Curitiba e levado direto para a carceragem da PF, onde chegou por volta das 14h. Logo em seguida, foi realizado o exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML).

Investigações

Bendine é acusado de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht e foi citado nas delações premiadas de executivos da empreiteira, incluindo o ex-presidente Marcelo Odebrecht. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), quando ainda era presidente do Banco do Brasil, Bendine teria pedido R$ 17 milhões à Odebrecht para viabilizar um contrato de financiamento, mas a empreiteira negou o pedido.

Em fevereiro de 2015, na véspera de assumir a Petrobras, Bendine teria pedido os R$ 3 milhões para não prejudicar a Odebrecht em contratos com a estatal e também para “amenizar” os efeitos da Lava Jato. Naquele momento, a operação estava prestes a completar um ano. O valor foi repassado em três entregas em espécie, de R$ 1 milhão cada, em São Paulo.

O juiz federal Sérgio Moro determinou o bloqueio de R$ 3 milhões nas contas de Bendine, na noite de ontem (27).

Um dos argumentos que levaram o Ministério Público Federal a pedir a prisão preventiva de Bendine foi a compra de uma passagem só de ida para Portugal por parte do investigado. À petição, os advogados do ex-presidente da Petrobras anexaram o bilhete de volta adquirido por Bendine, com data marcada para 19 de agosto pedindo a revogação da prisão.