Câmara rejeita justificativas de vereadora que faltou durante caravana de Lula

Fernando Garcel

Três requerimentos de justificativa de falta da Professora Josete (PT) foram negadas pela Câmara de Curitiba na sessão desta segunda-feira (2). Na semana passada, a vereadora acompanhou a caravana com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Paraná.

De acordo com Pier Petruzziello (PTB), a manifestação foi partidária e não estava de acordo com os anseios da Casa. “Eu sugiro aos senhores que derrubem o requerimento [o primeiro dos três a ser votado], porque ela estava na manifestação do presidente Lula, na manifestação do PT”, diz. Ele também afirmou que defenderia o posicionamento mesmo que a atividade fosse de outra sigla e que os requerimentos não detalham quais eram as atividades partidárias em que Josete estava. “Não podemos faltar três dias por atividades partidárias”, concluiu.

“Por várias vezes vereadores justificaram ausências aqui por participarem de atividade de seu partido, terem ido a encontro nacional, e nunca ninguém questionou. Vamos ver se daqui para frente será um critério”, disse Josete ao defender-se. “Tranquilamente, não vou passar fome se tiver três dias descontados de meu subsídio”, acrescentou.

Líder da oposição na Casa, Goura (PDT) votou pela aprovação das justificativas. “É preciso utilizar o mesmo peso e a mesma medida para todos, e não por picuinha política que não leva a nada”. […] Todos estamos filiados a partidos e somos atores políticos da cidade”, opinou.


Votação

Antes da votação da segunda das três proposições de Josete, Rogerio Campos (PSC) pediu verificação de quorum. Logo em seguida, o presidente colocou o requerimento em votação e ele chegou a ser aprovado, sob protestos do líder do prefeito. Ele reclamou que não havia sido aberta a discussão. Já o presidente da Casa, Serginho do Posto (PSDB), argumentou que não há debate para justificativas de falta, apenas encaminhamentos.

“Se nós estamos na sessão eu quero que tenha atenção na sessão. Por favor, em suas bancadas, votando”, disse Serginho. Por fim, Petruzziello solicitou o instrumento regimental de verificação de votação, pelo qual os vereadores votaram novamente e a justificativa foi derrubada.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook