Candidatos à Prefeitura de Curitiba declaram patrimônio à Justiça Eleitoral

Mariana Ohde


Os nove candidatos à Prefeitura de Curitiba declararam seus patrimônios à Justiça Eleitoral. Ao todo, os participantes do pleito somam quase R$ 13 milhões em bens.

Quatro candidatos registraram, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bens com um valor superior a R$ 1 milhão.

O empresário Ademar Pereira declarou R$ 4 milhões. A lista do candidato do PROS inclui aplicações financeiras, terrenos, cotas das duas empresas de Ademar (Escola Atuação e Espaço Torres) e uma BMW no valor de R$ 76 mil.

Gustavo Fruet (PDT) declarou o valor de quase R$ 3 milhões. De acordo com o TSE, o total do valor revelado pelo atual prefeito está investido em imóveis e aplicações.

Afonso Rangel (PRP) tem cotas de empresas e imóveis que totalizam cerca de R$ 1 milhão.

Já o deputado estadual Requião Filho (PMDB) tem uma casa, dois carros, investimentos e salas comerciais que somam quase R$ 2 milhões.

Outros quatro candidatos declararam ao TSE um patrimônio entre R$ 300 mil e R$ 900 mil.

A deputada Maria Victoria (PP) declarou bens de R$ 897 mil. Entre os bens da deputada estadual estão 100% das cotas de um centro educacional e uma BMW.

O candidato Ney Leprevost (PSD) afirmou ter salas comerciais, dois títulos de três clubes de Curitiba e casas. O deputado estadual do PSD somou R$ 860 mil.

Rafael Greca (PMN) tem o maior número de bens, mas declarou um patrimônio de R$ 573 mil.

O candidato do PT, Tadeu Veneri, possui um carro, um terreno, e uma sala comercial que totalizam R$ 342 mil.

A candidata Xênia Mello do PSol revelou não ter nada em seu nome.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="379170" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]