Candidatos buscam apoio para o segundo turno em Curitiba

Mariana Ohde


Os dois candidatos que vão concorrer ao segundo turno das eleições de 2016 em Curitiba vão passar a semana negociando o apoio dos candidatos derrotados na votação do último domingo (2). Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD) conquistaram 38% e 23% dos votos, respectivamente, e seguem na disputa pela Prefeitura de Curitiba.

Hoje, começam as reuniões e, nos bastidores das campanhas, a aporta mais certa é a de que Maria Victória (PP) deve apoiar Rafael Greca. Maria Victória é filha da vice-governadora Cida Borguetti (PP) e do ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), o que a coloca, naturalmente, no grupo político do governador Beto Richa (PSDB) – que apoia Greca. Nesta segunda-feira (3), em nota, a campanha da atual deputada estadual disse que vai definir a estratégia de acordo com os partidos coligados ao PP.

Requião Filho (PMDB) descartou a possibilidade de apoiar Greca, porém, ainda considera o apoio a Leprevost. “Vou ter que rever o programa do Ney Leprevost e ainda aguardo uma ligação dele. De qualquer forma, a decisão passa pelo partido”, disse, referindo-se ao PMDB.

O atual prefeito, Gustavo Fruet (PDT), que ficou com cerca de 20% dos votos do primeiro turno, disse que não deve definir nenhuma posição nos próximos dias. No entanto, uma declaração de Leprevost após a divulgação do resultado da votação no domingo chamou a atenção: “Quero dizer ao Gustavo Fruet que eu considero ele uma boa pessoa, em que pesem algumas coisas erradas e injustas que alguns dos que o circundam fizeram nos últimos dias. Mas eu não guardo nenhuma mágoa no coração, tenho um ótimo relacionamento pessoal com o prefeito”, disse.

Nesta segunda-feira, o PT no Paraná, de Tadeu Veneri, publicou uma nota convocando os militantes para reuniões nos dias 6 e 7 em todo o estado para definir o posicionamento para o segundo turno. Porém, no domingo, após o resultado, o candidato havia comentado que é oposição e, por isso, não deve assumir nenhum lado.

E Xênia Mello (PSOL) também deve definir os rumos da campanha em reunião nos próximos dias. O partido, no entanto, adiantou que as chances de apoio a qualquer candidato são “mínimas”.

Ademar Pereira (PROS) também não divulgou um posicionamento ainda.

O segundo turno será realizado no dia 30 de outubro.

(Com informações do Metro Curitiba)

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal