Política
Compartilhar

Chefe da Casa Civil, Guto Silva nega recebimento de R$ 100 mil para campanha

O secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Estado, deputado estadual Guto Silva (PSD), disse estar surpreso com a de..

Redação - 15 de fevereiro de 2019, 10:41

Foto: Alep
Foto: Alep

O secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Estado, deputado estadual Guto Silva (PSD), disse estar surpreso com a denúncia do delator do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Nelson Leal Junior, de que teria recebido, em 2014, R$ 100 mil para campanha à Assembleia Legislativa. Nelson Leal Júnior é apontado como o principal responsável pelo esquema fraudulento no DER-PR.

“Estou surpreso com a denúncia e também muito tranquilo em relação ao seu desfexo, porque não recebi qualquer quantia e confio no trabalho do Ministério Público e da Justiça para esclarecer o mais rápido possível este caso”.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior informou, através de seu secretário de Comunicação Social, jornalista Hudson José, que mantém sua postura de intolerância em relação à transparência e a atos ilícitos que venham a ocorrer em seu governo. Disse que conversou com o secretário-chefe da Casa Civil que o tranquilizou em relação ao assunto, afirmando que se trata de uma denúncia sem fundamento e que já contatou seus advogados para esclarecer o fato.

Segundo nota publicada nesta sexta-feira (15) pelo jornalista Fausto Macedo, do jornal O Estadão, o ex-diretor geral do DER, Nelson Leal Junior, delator da Operação Lava Jato, afirmou ao Ministério Público Federal (MPF) que entregou R$ 100 mil, em mãos, ao deputado Guto Silva (PSD) em 2014.

Conforme o delator, o valor teria sido solicitado por Pepe Richa, irmão do ex-governador Beto Richa (PSDB), ao então presidente da Econorte, Helio Ogama, que também é delator.

Na delação, Leal Junioe afirmou que os R$ 100 mil solicitados por Pepe Richa a Helio Ogama “seriam utilizados na campanha eleitoral do então candidato a deputado Guto Silva (Luiz Augusto Silva)”.

Em 2014, Guto Silva foi eleito pelo PSC com 45.313 votos, tendo declarado R$ 255.920,00 em bens à Justiça Eleitoral. Já na última eleição, quando foi reeleito com 66.412 votos, Guto declarou R$ 504.387,91 em bens.