Cida Borghetti não teme desgaste com servidores e diz que obedece a lei

Roger Pereira e Pedro Ribeiro

A governadora do Paraná e candidata à reeleição Cida Borghetti (PP) afirmou, em entrevista ao Paraná Portal, que não teme desgaste eleitoral com o episódio do reajuste dos servidores do estado, quando teve que retirar a proposta da Assembleia depois que os deputados apresentaram emendas elevando de 1% para 2,76% o índice de reajuste a ser concedido.

“Estou bastante tranquila. Como governadora, tenho responsabilidade. E tenho que respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal, sob o risco de deixar o Estado sem certidões. Não posso comprometer todas as despesas primárias do Estado”. Ele lembra que o Orçamento do Estado, aprovado pelos mesmos deputados, previa o congelamento do reajuste. “Eu não fiquei satisfeita com 0% e abri diálogo com os sindicatos e chegamos ao possível, que era 1%, para destravar a data base. Mas, numa ação eleitoreira, os deputados apresentaram os 2,76%, que inviabilizava o caixa do Estado. Retirei o projeto e vetei o 2,76% para os outros poderes, porque achei ser o mais justo”, contou.

Na entrevista, Cida também comentou a polêmica envolvendo a apropriação pelo governo Beto Richa (PSDB), de quem era vice, de recursos do fundo de previdência do estado para conter a crise financeira. “A previdência dos servidores é um tema bastante recorrente e eu tomei medidas rápidas. Primeiro eu troquei toda a diretoria da ParanaPrevidência. Espero que o próximo presidente faça rapidamente a reforma da previdência, mas eu já mandei para a Assembleia projeto reorganizando do sistema previdenciário dos funcionários públicos do Paraná para os próximos 70 anos”, disse.

A governadora, que anunciou que não renovará os contratos de concessão do pedágio, disse que o caminho é manter as rodovias paranaenses com a iniciativa privada, mas sob um novo modelo de concessão. “O pedágio é bom, mas é muito caro. Estamos escrevendo o novo modelo de contrato, que prioriza a justiça tarifária, com redução de pelo menos 50% nas tarifas e o cumprimento do cronograma de obras”.


Cida Borghetti elencou a segurança pública como prioridade de seu governo. “Saúde, educação e geração de empregos e oportunidades também são fundamentais, mas a segurança pública é o maior desafio. Por isso, escolhi um egresso da Polícia Militar, o Coronel Malucelli, como meu vice”. Unificação das polícias, monitoramento por câmera das estradas e utilização de helicóptero na fronteira são algumas das ações já adotadas, que ela pretende intensificar caso reeleita.

Confira a íntegra da entrevista:

Veja as outras entrevistas da série:

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal