Política
Compartilhar

Ciro compara Bolsonaro a Lula e chama PEC dos auxílios de esmola

Ele afirmou que Lula "distribuiu sobras e migalhas para os pobres" e que Bolsonaro "tenta dar uma esmola eleitoreira" a quatro meses da eleição.

Redação - 08 de julho de 2022, 11:31

Foto: Twitter/Ciro Gomes
Foto: Twitter/Ciro Gomes

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) fez comparou o presidente Jair Bolsonaro (PL) ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), líderes da corrida presidencial. Em uma postagem nas redes sociais, publicada nesta sexta-feira (8), Ciro chamou a PEC dos Auxílios, proposta pelo governo federal, de "esmola eleitoreira".

Ele afirmou que "Lula serviu com fartura os tubarões", fazendo alusão aos "poderosos" que teriam sido beneficiados no governo do Partido dos Trabalhadores (PT), enquanto "distribuiu sobras e migalhas para os pobres". 

Sobre Bolsonaro, Ciro Gomes afirmou que o governo dele tenta agora, com a PEC dos Auxílios, dar uma "esmola eleitoreira" a quatro meses da eleição.

"Depois de servir com fartura os tubarões, Lula distribuiu sobras migalhas para os pobres. Bolsonaro - que não fez nem isso - tenta agora dar uma esmola eleitoreira de quatro meses", publicou no Twitter.

PEC DOS AUXÍLIOS

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Auxílios, proposta pelo governo Jair Bolsonaro, prevê um aumento de R$ 200 no Auxílio Brasil até dezembro.

O projeto quer também que, até o fim do ano, seja dado um auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros, vale-gás de cozinha e reforço ao programa Alimenta Brasil, além de parcelas de R$ 200 para taxistas, financiamento da gratuidade no transporte coletivo de idosos e compensações para os estados que reduzirem a carga tributária dos biocombustíveis.

Segundo a legislação, não pode haver concessão de novos benefícios ou distribuição de valores em ano eleitoral, a não ser em casos excepcionais, como o estado de emergência. Por isso, há um dispositivo na PEC que prevê a decretação de estado de emergência no país até 31 de dezembro justificado pela elevação “extraordinária e imprevisível” dos preços do petróleo, combustíveis e seus impactos sociais.