Confira as orientações gerais para o segundo turno das eleições

Cristina Seciuk - CBN Curitiba


Os eleitores voltam às urnas neste domingo (28) com expectativa por um dia de votação mais tranquilo do que aquele vivenciado no primeiro turno, em 07 de outubro, quando foram registradas filas e horas de espera em algumas seções.

De acordo com o procurador eleitoral Armando Sobreiro Neto, a redução no número de candidatos a serem escolhidos deve diminuir sensivelmente o tempo na cabine, ainda assim a recomendação é para que o eleitor se organize antes de seguir até o local de votação.

“É bom o eleitor se organizar. Já se preparar, pensar no horário em que quer votar. Pode ir tranquilamente, sem preocupação em relação ao tempo, porque há apenas um voto a ser digitado. A expectativa é que a eleição corra em paz, sem nenhum problema. Tomar cuidado para não fazer propaganda no dia da eleição”, disse.

Para votar o eleitor deve levar consigo um documento válido com foto (como RG ou CNH) ou pode ainda optar por baixar o aplicativo e-Título que, para quem vota em Curitiba, é suficiente uma vez que já foi realizado o cadastramento biométrico na cidade e contém foto do titular.

Os eleitores que não compareceram ao primeiro turno podem votar normalmente no segundo. Já quem estará fora do seu domicílio eleitoral e não fez a solicitação de voto em trânsito no período hábil (cujo prazo terminou em 23 de agosto) deverá justificar a ausência, o que pode ser feito em qualquer local de votação. Se a medida não for tomada no dia do pleito (em quaisquer das duas datas de votação) será preciso regularizar a situação junto ao TRE em momento posterior.

Durante a votação a manifestação de preferência política é legal, mas deve ser feita com cautela, para evitar a caracterização como propaganda de boca de urna.

“A lei assegura esse tipo de manifestação individual e silenciosa, manifestada no uso de broches ou bandeiras. Mas reafirmando, não pode estar em grupos ou esse tipo de algazarra mais barulhenta. O eleitor pode manifestar seu voto, mas de forma ordeira, para não ser classificado como crime de boca de urna”, explica.

Por outro lado, uma atitude totalmente proibida é a utilização do telefone celular ou quaisquer outros equipamentos de registro de imagens na cabine de votação.

“O sigilo do voto pressupõe que o voto seja exercido, mesmo que o eleitor pense em divulgar em quem ele está votando, ao fazer ele está cometendo um crime eleitoral. O momento do voto é um momento sério e qualquer divulgação sobre o exercício do voto poderá implicar em uma investigação criminal”, destaca.

Esse alerta faz lembrar, inevitavelmente, diversos vídeos que circularam durante o primeiro turno, como denúncias de falhas em urnas eletrônicas. Sobre possíveis episódios similares, o procurador eleitoral destacou que uma auditoria já foi realizada, mas que quaisquer situações podem ser comunicadas.

“Então o eleitor pode confiar que a eleição é sem nenhum tipo de interferência de quem quer que seja. Mesmo assim, se no dia da votação ele achar que existe algo errado, pode chamar o presidente da mesa ou secretário do prédio e registrar sua reclamação”, ressalta.

O horário de votação é mais uma vez das 8h às 17h.

 

Previous ArticleNext Article