Política
Compartilhar

Aliados de Bolsonaro querem demover Daniel Silveira de disputar o Senado

A preocupação reside na possibilidade de Daniel concorrer por meio de liminar e o TSE julgar o mérito apenas no ano que vem.

Folhapress - 08 de maio de 2022, 16:26

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Aliados do presidente presidente Jair Bolsonaro (PL) tentam demover o PTB de lançar o deputado federal Daniel SiIveira (PTB-RJ) ao Senado nas eleições em outubro. Impulsionado pela visibilidade envolvendo seu embate com o Supremo Tribunal Federal (STF), Daniel quer disputar a única vaga disponível neste ano no Rio de Janeiro.

Silveira foi condenado pela corte de 8 anos e 9 meses de prisão, em regime inicial fechado, por ameaças aos ministros da corte em abril. Dias depois, Bolsonaro concedeu um indulto à pena.

O ministro Alexandre de Moraes já afirmou que o indulto individual concedido ao parlamentar não afasta a inelegibilidade decorrente de condenação imposta ao parlamentar.

A preocupação reside na possibilidade de Daniel concorrer por meio de liminar, caso questione no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sua situação, e a corte só analise o mérito no ano que vem.

Neste caso, o entorno de Bolsonaro não tem expectativa de uma decisão favorável ao deputado. Se Daniel se eleger, novas eleições seriam convocadas. No pior cenário para o grupo, o segundo pleito aconteceria em um eventual mandato e influência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O candidato do presidente no Rio é o senador Romário (PL-RJ), que enfrenta dificuldade em ter adesão do bolsonarismo no estado. Para aumentar a identificação com a base, o PL avalia escolher Rogéria Bolsonaro, ex-mulher do presidente, como suplente do ex-jogador de futebol.

Essa é outra preocupação dos bolsonaristas no estado. A mera presença de Daniel na disputa divide os votos dos apoiadores do presidente e pode fortalecer um candidato da oposição.