Política
Compartilhar

Governo do Paraná publica novo decreto após recorde de mortes por covid-19

O governo do Paraná publicou novo decreto nesta terça-feira (16), dia em que o estado bateu recorde de mortes por covid-..

Vinicius Cordeiro - 16 de março de 2021, 17:03

 Foto: Geraldo Bubniak/AEN
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O governo do Paran√° publicou novo decreto nesta ter√ßa-feira (16), dia em que o estado bateu recorde de mortes por covid-19. Foram 310 mortes registradas nas √ļltimas 24h, n√ļmero que supera os 244 √≥bitos do √ļltimo dia 10.

A vig√™ncia do atual se encerrava √†s 5h da manh√£ desta quarta-feira (17), mas foi prorrogado at√© o dia 1¬ļ de abril. Com isso, o governador Ratinho Junior (PSD) estende as regras de circula√ß√£o por mais 16 dias.

Atualmente, o governo estadual determina toque de recolher entre 20h e 5h, período em que também são proibidos a venda e o consumo de bebidas alcoólicas.

Contudo, diversas cidades adotaram mais restri√ß√Ķes devido ao cen√°rio ca√≥tico da pandemia. Em Curitiba, por exemplo, o prefeito Rafael Greca (DEM) atualizou o n√≠vel de alerta contra a covid e adotou a bandeira vermelha pela primeira vez. Com isso, a capital entrou em um lockdown at√© a pr√≥xima segunda-feira (21).

Já no litoral do Paraná, as prefeituras fizeram barreiras sanitárias para evitar a entrada de turistas nos municípios. Em Maringá, por outro lado, o comércio reabriu hoje após ficar 17 dias fechado.

Vale lembrar que ambos os decretos (estadual e municipal) s√£o oficiais, mas vale o que tiver as medidas mais restritivas.

Nesta quarta-feira (17), Ratinho vai se encontrar com os governadores de Santa Catarina, Carlos Mois√©s (PSL), e Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), al√©m dos secret√°rios estaduais da Sa√ļde para compartilhar informa√ß√Ķes sobre o avan√ßo do v√≠rus em toda a regi√£o Sul. O encontro ser√° presencial, em Florian√≥polis.

DECRETO MAIS RESTRITIVO NÃO SURTIU EFEITO ESPERADO

O governo do Paraná publicou um decreto restritivo no dia 26 de fevereiro para conter o avanço do coronavírus.

Naquela época, a administração de Ratinho Junior atribui o crescimento da doença à nova variante da covid, chamada de P1 e identificada em Manaus. Segundo os especialistas, essa nova cepa pode ser entre quatro e seis vezes mais transmissível.

No dia 5 de mar√ßo, Ratinho prorrogou o lockdown por dois dias, mas anunciou a reabertura das atividades n√£o essenciais. O governador preza pelos setores econ√īmicos e por isso optou em flexibilizar as medidas.

Entretanto, o pr√≥prio governador e o secret√°rio da Sa√ļde Beto Preto reconheceram que o decreto n√£o surtiu efeito esperado. A administra√ß√£o avalia que √© necess√°rio chegar a 50% no √≠ndice de isolamento para diminuir a transmiss√£o da covid. Contudo, a taxa ficou em torno de 35%.

Agora, Ratinho decide prorrogar as medidas mais flex√≠veis mesmo com maior press√£o do sistema de Sa√ļde. Segundo os dados estaduais, 96% das UTIs da rede p√ļblica para adultos est√£o ocupadas. Dos 1.633 leitos existentes, restam 66 livres.

Neste momento, as regi√Ķes Leste (que abrange Curitiba) e Oeste (que engloba Foz do Igua√ßu) t√™m os piores √≠ndices com 98% e 97% de ocupa√ß√£o, respectivamente. Por fim, o Norte e o Noroeste, com 93% e 92%, tamb√©m t√™m taxas preocupantes.

Os contextos exigem um decreto mais restritivo de algumas prefeituras, principalmente nas regi√Ķes do Paran√° com situa√ß√Ķes mais cr√≠ticas.

PARAN√Ā PODE FICAR SEM REM√ČDIOS PARA PACIENTES COM COVID-19

O cenário se complica ainda mais já que o Cemepar (Centro de Medicamentos do Paraná) emitir alerta que os medicamentos para tratamento da covid podem se esgotar em até 10 dias, incluindo sedativos e analgésicos.

O governo do Paran√° tenta parceiras e cobra assist√™ncia do Minist√©rio da Sa√ļde, que est√° sob transi√ß√£o com a sa√≠da do general Eduardo Pazuello e posse do cardiologista Marcelo Queiroga, definido como novo ministro pelo presidente Jair Bolsonaro.