Política
Compartilhar

Denúncia de Lula contra Dallagnol por powerpoint será arquivada nesta terça (25)

O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) deve arquivar a denúncia de Lula contra Deltan Dallagnol por causa do u..

Mônica Bergamo - Folhapress - 25 de agosto de 2020, 11:05

PR - LAVA JATO - POLITICA -   Procurador
Deltan Dallagnol  durante Coletiva  de Imprensa na sede do Ministério Público no centro em Curitiba, nesta quarta-feira (19).  Foto: Geraldo Bubniak/AGB
PR - LAVA JATO - POLITICA - Procurador Deltan Dallagnol durante Coletiva de Imprensa na sede do Ministério Público no centro em Curitiba, nesta quarta-feira (19). Foto: Geraldo Bubniak/AGB

O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) deve arquivar a denúncia de Lula contra Deltan Dallagnol por causa do uso de um powerpoint no caso do triplex. O julgamento será nesta terça (25). Em setembro de 2016, os procuradores da Lava Jato, sob a liderança de Dallagnol, convocaram uma entrevista coletiva para falar do processo contra o petista.

Colocaram o nome dele em um círculo com vários outros em volta com palavras como "enriquecimento ilícito", "mensalão", "José Dirceu", "expressividade" e "vértice comum". A defesa de Lula recorreu ao conselho, que fiscaliza a atividade de procuradores. O caso foi pautado 43 vezes -mas nunca foi julgado.

Entrou na pauta desta terça, e deve ir para o arquivo por duas razões: as punições mais leves para ele, como advertência ou censura, já prescreveram. Restaria a possibilidade de abrir investigação para o afastamento de Dallagnol da carreira. Mas a medida, que já era considerada drástica, também não poderia ser aplicada.

Para isso, o procurador precisaria ser reincidente, ou seja, já ter outras punições em sua ficha.​ Dallagnol tinha -ele já sofreu advertência por ter dito que ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) aparentavam agir com leniência diante da corrupção.

Na semana passada, no entanto, o ministro Luiz Fux, do próprio STF, suspendeu a pena para efeito de reincidência em novos julgamentos contra o procurador. O arquivamento será mais uma vitória para a força-tarefa da Lava Jato no Paraná, que já viu suspensos outros julgamentos do CNMP contra seus integrantes.