Denúncia do MPF contra Felipe Santa Cruz fragiliza ambiente democrático, diz defesa

Angelo Sfair

felipe santa cruz, oab, apreensão, augusto heleno, celular, gabinete de segurança institucional, gsi, inquérito, interferência, jair bolsonaro, pf, pgr

O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) diz que recebe com “perplexidade e indignação” a denúncia por calúnia apresentada nesta quinta-feira (19) pelo MPF-DF (Ministério Público Federal). Felipe Santa Cruz foi alvo da acusação após chamar o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, de “chefe de quadrilha”.

De acordo com a defesa de Santa Cruz, a postura do MPF representa um atentado à liberdade de expressão. Além disso, conforme a defesa, “fragiliza o ambiente democrático, que deve ser a regra num país livre, maduro e com as instituições fortalecidas”.

Para o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, o posicionamento de Felipe Santa Cruz aconteceu dentro dos limites constitucionais. O representante do presidente do Conselho Federal da OAB afirma que é dever de todo advogado manter uma postura crítica e propor debates.

“Criminalizar o direito à crítica é fazer uma sombra na árvore, ainda tênue, da democracia. É flertar com o abuso e com uma época que julgávamos superada. Certamente, querer calar a voz do advogado, especialmente do Presidente do Conselho Federal, não é o que se espera em um momento de pacificação nacional”, pontuou Kakay.

moro felipe santa cruz calúnia chefe de quadrilha ministro da justiça presidente da oab
Banca o chefe da quadrilha“, disse Santa Cruz, em referência a Moro. (Isaac Amorim/MJSP)

FELIPE SANTA CRUZ X SERGIO MORO

Os atritos entre o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, não são recentes. Em julho deste ano, no decorrer da Operação Spoofing, eles deram início a uma troca de acusações.

Conforme a denúncia por calúnia do MPF-DF, Santa Cruz afirmou que Moro “usa o cargo, aniquila a independência da Polícia Federal e ainda banca o chefe da quadrilha ao dizer que sabe das conversas de autoridades que não são investigadas”.

Na quarta-feira passada (11), em resposta a uma entrevista de Felipe Santa Cruz, o ministro usou as redes sociais para chamá-lo de militante político. Sergio Moro afirmou que não receberia o presidente da OAB no Ministério da Justiça enquanto ele não mudasse a postura.

“Tenho grande respeito pela OAB, por sua história, e pela advocacia. Reclama o Presidente da OAB que não é recebido no MJSP. Terei prazer em recebê-lo tão logo abandone a postura de militante político-partidário e as ofensas ao PR (presidente da República) e a seus eleitores”, escreveu Moro, na ocasião.

MILITANTE POLÍTICO

O mesmo termo usado por Moro ao referir-se ao presidente da OAB aparece na denúncia por calúnia protocolada hoje (19) pelo MPF-DF.

A peça acusatório afirma que Felipe Santa Cruz “utiliza o manto de uma das principais instituições no Estado Democrático Brasileiro para agir como militante político e impor sua visão política pessoal ao arrepio dos deveres institucionais da OAB”.

A coincidência não passou despercebida pela defesa técnica. Kakay afirmou que reclamará ao Conselho Federal para que seja levado ao CNMP uma representação por abuso de autoridade contra o procurador da República que assina a denúncia.

“Ressalta a defesa a estranheza do uso da expressão ‘militante político’, que parece ter sido copiada do discurso daquele que se diz ofendido e que assinou a representação. Definitivamente, esse não é o papel que se espera de um MP independente”, conclui Kakay.

Previous ArticleNext Article