Dez deputados podem disputar prefeituras no Paraná

Redação


A ebulição política no nível federal e as mudanças nas regras eleitorais fizeram atrasar as definições sobre as eleições municipais neste ano, mas mesmo assim, aos poucos, começam as movimentações partidárias para a escolha dos candidatos.

Entre os deputados estaduais, já há pelo menos dez com seus nomes colocados nas disputas. A concorrência é principalmente pelas prefeituras das grandes cidades, visto que cada deputado já têm sob sua área de influência um grande número de municípios menores, para os quais direciona emendas.

“Meu trabalho é em mais de 90 cidades e meu ritmo de mandato é muito forte. Estou avaliando os prós e os contras de disputar uma campanha”, explica o deputado Márcio Paulilti (PDT). Mesmo em dúvida, ele pode ser candidato em Ponta Grossa.

Em Curitiba a disputa é mais acirrada Requião Filho (PMDB) e Tadeu Veneri (PT) têm espaço aberto dentro dos seus partidos e devem sair. Ney Leprevost (PSD) e Maria Victória (PP) também buscam vagas na disputa.

Em Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro (PSD) está sendo convidado, mas não confirma interesse. Em Maringá Dr. Batista (PMN) está na mesma situação, mas também não definiu se é candidato. Já Cascavel tem dois nomes confirmados: Leonaldo Paranhos (PSC) e Márcio Pacheco (PPL), que lançou pré-candidatura no último final de semana. Por fim, professor Lemos (PT) ainda avalia se pode sair.

Nas grandes cidades apenas em Londrina nenhum deputado estadual apresentou o nome. O prefeito Alexandre Kireeff (PSD) anunciou que não vai disputar a reeleição, mas mesmo assim o deputado Tercílio Turini (PPS), da região, recusa a candidatura.

Prazo

Nas últimas eleições, o prazo para a escolha dos candidatos ia de 10 até 30 junho. Neste ano, no entanto, o calendário foi atrasado. As convenções partidárias só podem ocorrer entre 20 julho até 5 de agosto. Até lá ninguém pode assumir candidatura oficial.

(Thiago Machado, Metro Jornal Curitiba)

Previous ArticleNext Article