Doleiro da Lava Jato é preso após apresentar falso contrato de trabalho para fugir do semi-aberto

Andreza Rossini

Um doleiro condenado a cinco anos de prisão em regime semi-aberto, na Operação Lava Jato, foi preso na manhã desta quarta-feira (10) de outubro, em Jandaia do Sul, no norte-central do Paraná.

Após ter a condenação confirmada em segundo grau, ele alterou o domicílio para Jandaia do Sul, onde não existe prisão destinada ao cumprimento do regime semiaberto e ele não teve nenhum vínculo profissional ou pessoal.

Para justificar a mudança, o doleiro apresentou à justiça um falso contrato de trabalho, celebrado com uma gráfica da cidade de Faxinal, que o teria contratado como “vendedor autônomo”.

Investigações conduzidas pela 1ª Promotoria de Justiça de Jandaia do Sul, com o auxílio da Promotoria de Faxinal, contando com interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Militar, demonstraram que o doleiro jamais exerceu a função de vendedor e tampouco pretendia fazê-lo.


A falsidade foi praticada com objetivo de atrair a competência de seu processo de execução de pena para o município e assegurar que ele não cumprisse pena em unidade prisional no estado de São Paulo, onde existem estabelecimentos destinados ao regime semiaberto.

O doleiro, dois advogados e os proprietários da gráfica foram denunciados pela prática dos crimes de associação criminosa e falsidade ideológica.

Post anteriorPróximo post