Em carta a Biden, 23 governadores propõe parceria para reduzir impactos climáticos

Vinicius Cordeiro

EUA anunciam que vão doar 20 milhões de doses de vacinas aprovadas no país

Governadores de 23 estados brasileiros, que representam 90% do território nacional, assinaram uma carta enviada ao presidente Joe Biden, dos Estados Unidos, com objetivo de reforçar o interesse do Brasil em defender os ecossistemas. O texto conta com a participação de aliados do presidente Jair Bolsonaro, como Ronaldo Caiado, governador de Goiás, e Ratinho Junior (Paraná). Adversários políticos do atual chefe do Executivo, como João Doria (São Paulo) e Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), também integraram o grupo.

“A coalizão Governadores pelo Clima está estruturando políticas climáticas, sociais e econômicas interligadas como base no desenvolvimento sustentável. Expressamos nossa intenção de implementar ações conjuntas, propondo a cooperação dos Estados Unidos e os estados brasileiros, responsáveis pela maior parte da Floresta Amazônica e de outros biomas, capazes de regular ciclos hídricos e de carbono em escala planetária”, diz trecho da texto.

O documento é enviado ao presidente Biden nas vésperas da Cúpula dos Líderes pelo Clima, que acontece em 22 e 23 de abril e reúne chefes de Estado de 40 países diferentes para debater o clima no mundo. Ou seja, o objetivo é reforçar o interesse do Brasil em construir soluções colaborativas para defender a humanidade e todas as espécies ameaçadas.

Nesse contexto, os governadores apontam compromisso em impulsionar o equilíbrio climático, a redução das desigualdades, a regeneração ambiental e o estímulo à adoção de tecnologias para reduzir as emissões de gases que interferem nas mudanças climáticas.

“Os governos estão cientes de sua responsabilidade com a redução dos gases do efeito estufa, a promoção de energia renovável, o combate ao desmatamento, o cumprimento do Código Florestal para a conservação das florestas e da vegetação nativa, a melhoria na da eficiência na agropecuária, a proteção e o bem-estar dos povos indígenas e comunidades tradicionais”, completa a carta.

BRASIL VIVE CRISE NO MEIO AMBIENTE

Vista da Floresta Amazônica à partir do município de Jordão, no Acre. (Foto: Odair Leal/Folhapress)

Nas vésperas da Cúpula dos Líderes pelo Clima, o Brasil vive um momento conturbado no que diz respeito do tratamento com o meio ambiente.

Além das queimadas recordes, a Polícia Federal (PF) encaminhou notícia-crime ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra o ministro Ricardo Salles, que é acusado de dificultar a ação de fiscalização ambiental e atuar em prol de investigados em uma operação que mira a extração ilegal de madeira na Amazônia. Além de Salles, o senador Telmário Mota também é acusado.

O superintendente da PF no Amazonas, delegado Alexandre Saraiva, foi o responsável por redigir o texto e acabou sendo retirado do cargo Segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, Saraiva era visto pelos madeireiros como “alvo a ser abatido”.

O delegado concedeu entrevista à GloboNews e disse que o ministro Ricardo Salles “defende infratores ambientais”.

A situação não ajuda na imagem do presidente Jair Bolsonaro, que é acusado por autoridades internacionais em não se comprometer com as questões climáticas e na preservação da Amazônia.

GOVERNADORES QUE ASSINARAM CARTA A BIDEN

  • Gladson Cameli – Acre
  • Renan Filho – Alagoas
  • Walden Góes – Amapá
  • Wilson Lima – Amazonas
  • Rui Costa – Bahia
  • Camilo Santana – Ceará
  • Renato Casagrande – Espírito Santo
  • Ronaldo Caiado – Goiás
  • Flávio Dino – Maranhão
  • Mauro Mendes – Mato Grosso
  • Ratinho Junior – Paraná
  • Reinaldo Azambuja – Mato Grosso do Sul
  • Romeu Zema – Minas Gerais
  • Helder Barbalho – Pará
  • João Azevêdo – Paraíba
  • Paulo Câmara – Pernambuco
  • Wellington Dias – Piauí
  • Cláudio Castro – Rio de Janeiro
  • Fátima Bezerra – Rio Grande do Norte
  • Eduardo Leite – Rio Grande do Sul
  • Belivaldo Chagas – Sergipe
  • João Doria – São Paulo
  • Mauro Carlesse – Tocantins

Com isso, não assinaram a carta os governadores Ibaneiz Rocha (Distrito Federal), Coronel Marcos Rocha (Rondônia), Antonio Denarium (Roraima) e Carlos Moisés (Santa Catarina).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="758008" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]