Empréstimo de U$93 milhões a Curitiba para o Ligeirão Leste-Oeste depende do aval do Senado

David Musso - BandNews FM Curitiba

Empréstimo internacional de U$93 milhões a Curitiba para o Ligeirão Leste-Oeste depende do aval do Senado Federal

Depende da autorização da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal, a permissão para que Curitiba contrate um financiamento internacional de US$ 93,75 milhões para a instalação do Ligeirão Leste-Oeste. A informação é da BandNews Curitiba.

Um despacho do presidente Jair Bolsonaro publicado nesta segunda-feira (22), deu o aval à transação, com garantia da União Federal. A prefeitura quer usar o dinheiro emprestado para a implantação do Ligeirão Leste-Oeste, no corredor entre Pinhais e a estação CIC Norte.

O vice-prefeito de Curitiba Eduardo Pimentel esteve em Brasília, nesta terça-feira (23), para pedir celeridade na aprovação do projeto. Ele disse ter saído do gabinete do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, com a promessa de que o texto será votado em breve.

O financiamento será tomado por Curitiba junto ao Banco de Desenvolvimento do BRICS – o bloco econômico supranacional formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A expectativa da prefeitura é que o contrato ratificando o acordo comercial possa ser formalizado ainda em dezembro. Para o vice-prefeito, a aprovação do empréstimo pelo Senado vai viabilizar a execução de mais um grande projeto na área do transporte público, com potencial de recolocar Curitiba como referência no assunto.

O Ligeirão Leste-Oeste prevê um aumento na velocidade média operacional dos ônibus que circulam diariamente pelas canaletas. A intenção é que após concluídas as obras, ônibus com motorização elétrica substituam os atuais veículos movidos à diesel.

Segundo o vice-prefeito, a iniciativa integra compromissos internacionais assumidos pela cidade, para a redução da emissão de CO2 na atmosfera.

O trajeto de 30 km do corredor Leste-Oeste receberá obras de infraestrutura para permitir a ultrapassagem entre os ônibus, bem como, a instalação de ciclofaixas ao longo de todo o percurso.

O projeto prevê, ainda, a instalação de três novas estações tubo, a reforma do Terminal do Centenário e da Vila Oficinas e a reconstrução dos terminais Capão da Imbuia e Campina do Siqueira.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="805599" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]