“Eu era um troféu que a Lava Jato precisava entregar”, afirma Lula

Francielly Azevedo e Roger Pereira


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta quarta-feira (14), que se considera um troféu da Operação Lava Jato. A declaração foi dada em depoimento à juíza Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro, na Justiça Federal, em Curitiba. O petista foi ouvido no processo que investiga o recebimento de propina em obras de melhorias no Sítio de Atibaia, no interior de São Paulo.

“Havia uma obsessão. Eu me considero um troféu. Eu era um troféu que a Lava Jato precisava entregar. Não sei porque não gostam de mim, mas se não prendessem o Lula, não ia valer, a ponto de eu dizer ao juiz Moro, quando estive aqui, que ele não tinha outra alternativa se não me condenar. Isso me deixa constrangido”, afirmou o petista.

Nas considerações finais Lula também disse que o objetivo dele agora é desmentir as mentiras contadas a seu respeito. “Não é nem provar a inocência, porque eu sou inocente. Porque depois de eu ser investigado, quebraram meus sigilos bancários e telefônico, invadiram a minha casa, a casa do meu filho, levantaram meu colchão, não apresentaram um centavo de real na minha vida ou na minha conta. Eu me sinto vítima. Meu esforço agora é não perder a tranquilidade e pedir a Deus que nesse país se faça Justiça”, finalizou.

Em outro momento do depoimento, Lula já tinha dito que inventaram mentiras sobre ele e reforçou uma perseguição política. “No meu caso vocês me tiraram até do processo eleitoral, que eu venceria no primeiro turno. Me condenaram de forma apressada para me tirar”, destacou.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.