EUA prometem resposta à altura caso avião tenha sido derrubado por míssil do Irã

Vinicius Cordeiro

eua irã avião

Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, falou que o país e “o mundo” vão tomar “ações apropriadas” para responder o Irã caso a investigação da queda do avião ucraniano, que matou 176 pessoas, conclua que a aeronave tenha sido atingida por um míssil do Irã. Entretanto, os iranianos negam o fato e classifica as alegações como ‘rumores ilógicos’.

Nós acreditamos que é provável que o avião tenha sido atingido por um míssil iraniano. Nós vamos deixar a investigação acontecer. Quando conseguirmos os resultados, estou confiante que nós e o mundo vamos tomar ações para responder“, disse Pompeo ao ser questionado se haveriam consequências.

Ele participou, ao lado do secretário do Tesouro, Steven Mnunchin, do anúncio de sanções adicionais ao Irã nesta sexta-feira (10), na Casa Branca. As medidas foram autorizadas pelo presidente Donald Trump em meio as tensões entre os dois países.

Na semana passada, os norte-americanos fizeram um ataque que resultou na morte do general Qassim Suleimani, maior figura militar do país. A ação teve um contra-ataque na última terça-feira (7), quando os iranianos atacaram bases militares no Iraque que abrigam soldados americanos. Já na quarta (8), dois foguetes atingiram a Zona Verde de Bagdá, no Iraque, a 100 metros da embaixada dos EUA.

“Eles tinham intenção total de matar americanos, fossem militares ou diplomatas na região. Estou confiante de que a resposta que o presidente deu é apropriada. O presidente disse que não queremos guerra. Queremos que o Irã se comporte como uma nação normal”, completou Pompeo.

Ontem, Trump fez um pronunciamento forte na Casa Branca. Além de dizer que os iranianos nunca terão uma arma nuclear enquanto ele for presidente, deixou claro que as forças americanas estão preparadas para tudo’.

“Os dias de tolerar o comportamento destrutivo e desestabilizador do Irã como principal patrocinador do terrorismo terminaram”, disse Trump.

AVIÃO QUE CAIU NO IRÃ É INVESTIGADO INTERNACIONALMENTE

Na última quarta-feira (8), um avião Boeing 737, da companhia Ukraine International Airlines, caiu após decolar do Aeroporto Internacional Imam Khomeini. De acordo com relatos, a aeronave pegou fogo no céu.

Contudo, ontem (9), New York Times publicou um vídeo do momento que o avião é atingido.

Ontem (9), o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, também declarou que há informações da suspeita, mas também pregou cautela. O país é o segundo no ranking com mais vítimas na tragédia: foram 63 mortos, atrás apenas do Irã, com 82 mortes. Além disso, 163 passageiros tinham o Canadá como destino final.

“Precisamos ter uma investigação completa para estabelecer exatamente o que aconteceu”, afirmou Trudeau, pregando cautela nas declarações.

Quem adotou postura semelhante foi Volodymir Zelensky, presidente da Ucrânia. Ele pediu informações aos governos dos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido após as declarações dos chefes de estado. “Pode ter sido não intencional”, disse ele.

As informações da caixa-preta do avião estão sendo analisadas hoje pelo Irã. Caso não fosse possível a análise completa, os iranianos revelaram que vão pedir ajuda para a Rússia, Ucrânia, França ou Canadá.

SANÇÕES AO IRÃ EVITAM TERRORISMO, DIZ EUA

eua irã guerra tensão
Mike Pompeo e Steven Mnunchin durante o pronunciamento de hoje. (Reprodução / Casa Branca)

Os secretários Mike Pompeo, de Estado, e Steven Mnuchin, do Tesouro, divulgaram sanções adicionais ao Irã em razão dos recentes ataques iranianos.

“Nós temos 100% de confiança que as sanções econômicas estão funcionando. Se não tivéssemos isso, o Irã teriam dezenas de bilhões de dólares e usando isso para atividades terroristas”, disse Mnunchin.

Por fim, os dois deixaram claro que os Estados Unidos continuarão aplicando sanções econômicas até o Irã interromper suas atividades terroristas e “comprometer que nunca terá armas nucleares”.

Previous ArticleNext Article