Ex-executivo da empreiteira Mendes Júnior tem acordo de delação premiada homologado

Juliana Goss - BandNews FM Curitiba

PF

O ex-executivo da empreiteira Mendes Júnior, Rogério Cunha de Oliveira, teve o acordo de delação premiada homologado pela Justiça. O delator já foi condenado a 25 anos e 8 meses de prisão pela Lava Jato e cumpre pena desde agosto na ação penal que apura o pagamento de R$ 31,5 milhões em propina à diretoria de Abastecimento da Petrobras.

Rogério Cunha de Oliveira teria pago vantagens indevidas ao ex-gerente da estatal, Simão Tuma, que teria repassado informações privilegiadas e favorecido a empreiteira em um contrato envolvendo as obras no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro que custaram R$ 1 bilhão e 800 milhões.

Cerca de 1% do valor teria sido revertido em propina. O operador financeiro Rodrigo Tacla Duran teria dissimulado os pagamentos por meio de notas frias de serviços de advocacia. Duran também operava em contratos fraudulentos junto a Odebrecht. Apesar de ter sido condenado 25 anos e 8 meses de prisão, o ex-executivo da Mendes Júnior, Rogério Cunha de Oliveira, irá cumprir apenas 1 ano e meio em regime fechado, já que fechou o acordo de colaboração.

Outros 2 anos e meio da pena serão cumpridos em regime domiciliar, com o uso de tornozeleira eletrônica; 4 anos em regime semi-aberto e os últimos 5 anos em regime aberto.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="562476" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]