Ex-prefeito e servidores públicos de Toledo são condenados por improbidade administrativa

Lorena Pelanda e Assessoria


O ex-prefeito de Toledo, na região Oeste do Paraná, e cinco servidores públicos tiveram bloqueio de bens determinado pela Justiça. A decisão atende um pedido do Ministério Público do Paraná.

O ex-prefeito atuou no município entre 2013 e 2016. Ele e os servidores vão responder por improbidade administrativa.

De acordo com as investigações, fatos ocorreram durante a campanha das eleições municipais de 2016, quando ex-prefeito e os servidores teriam ido duas vezes a uma escola municipal durante o horário de aulas, acompanhados de equipe de filmagem, interferindo nas atividades escolares com o pretexto de que seria realizado vídeo institucional sobre educação integral. Entretanto, as filmagens foram veiculadas na campanha eleitoral do então prefeito, que concorria à reeleição, ludibriando assim a equipe escolar, que participou ativamente das gravações acreditando tratar-se de material de interesse público.

Conforme apontou o MPPR, os réus utilizaram as prerrogativas dos cargos para fins pessoais, violando os princípios da legalidade, da moralidade e da impessoalidade da administração pública.

Os bens dos réus foram bloqueados até o limite de R$ 16 mil para cada um. Na análise do mérito da ação, o MPPR requer que os réus sejam condenados às penas da Lei de Improbidade, como ressarcimento integral do dano ao erário, pagamento de multa, suspensão dos direitos políticos e perda da função pública.

Previous ArticleNext Article
Lorena Pelanda
Coordenadora de jornalismo da rádio BandNews FM Curitiba