Política
Compartilhar

Políticos paranaenses são citados na lista de Fachin

Além dos 74 inquéritos abertos pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, contra políticos com foro no STF..

Redação - 11 de abril de 2017, 20:28

Além dos 74 inquéritos abertos pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, contra políticos com foro no STF delatados no acordo de colaboração dos executivos e ex-executivos da Odebrecht, outras 201 petições foram distribuídas pelo ministro para os tribunais competentes, de acordo com o foro de cada autoridade citada. Entre os processos remetidos ao Superior Tribunal de Justiça, foro para ações contra governadores de estado, está a petição 6665, que tem como alvo o governador do Paraná Beto Richa (PSDB).

Apesar de o nome do governador ter sido divulgado no documento publicado pelo STF, o teor da petição do Ministério Público Federal ainda está sob sigilo. Nos encaminhamentos a outras cortes também estão citados outros políticos paranaenses, como o ex-ministro Paulo Bernardo e a senadora Gleisi Hoffmann, que tiveram as petições contra eles remetidas aos processo já abertos no Supremo Tribunal Federal, o senador Osmar Dias (PDT), citado junto com o ex-ministro Carlos Lupi, presidente do PDT, e por isso, com a petição remetida à Justiça Federal do Distrito Federal e do presidente da Companhia de Habitação do Paraná, Abelardo Lupion (DEM), cujo caso foi encaminhado para a Justiça Federal do Paraná.

A lista dos casos remetidos a outros foros traz ainda nomes como o do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que teve a petição remetida ao STJ e, até, do ex-presidente Fernando Henrique Cardosos (PSDB) – enviado para a Justiça Federal de São Paulo. O ministro Edson Fachin ainda manteve sob sigilo dois inquéritos e 25 petições.

Em nota, o governado Beto Richa declarou: "Desconheço o contexto no qual tive meu nome citado. Todas as minhas campanhas tiveram a origem dos recursos declarada à Justiça Eleitoral". A assessoria de imprensa de Gleisi Hoffmann informou que "a senadora Gleisi não tem informação sobre isso, desconhecendo a que se refere. Ela se pronunciará quando tiver informações a respeito".

Confira a lita completa dos delatados pela Odebrecht