Foro privilegiado e rejeição de denúncia contra Temer prejudicam avaliação da Lava Jato, diz MPF

Roger Pereira


Ao comentar a recente pesquisa do Instituto Ipsos que mostra uma ligeira queda na aprovação da Operação Lava Jato perante a opinião pública e o crescimento da impressão, perante os entrevistados, de que as investigações não atingem todos os partidos da mesma forma, a equipe do Ministério Público Federal que compõe a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba avaliou que o foro privilegiado e a atuação do Supremo Tribunal Federal e da Câmara dos Deputados colaboraram para essa mudança de percepção da população.

Em nota enviada ao Paraná Portal pela assessoria de imprensa, a força tarefa do MPF no Paraná comentou que: “Infelizmente, em razão do foro privilegiado, investigações e eventuais denúncias contra políticos de diversos partidos não puderam ocorrer na primeira instância, permanecendo no Supremo Tribunal Federal”. Para o MPF, “a rejeição de denúncias contra o atual presidente e o não-afastamento de políticos de suas funções pelo Congresso, além de arquivamentos de inquéritos promovidos por ministros do STF sem a devida consulta à Procuradoria Geral da República, também reforçam a percepção de que as apurações contra determinadas legendas não avançam”.

Pesquisa Ipsos divulgada nesta segunda-feira, mostra, entre outros números, que, em um ano, caiu de 74% para 46% o número de pessoas que acreditam que a Lava Jato está investigando todos os partidos.

Pesquisa mostra desgaste da Lava Jato perante opinião pública

 

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="550698" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]