Geórgia e Pensilvânia concentram atenção em apuração lenta

Folhapress

Eleição EUA

Na terceira noite de apuração nos EUA, o foco está em dois estados: Geórgia e Pensilvânia. Vencer na Pensilvânia selaria a vitória de Joe Biden. Ele já tem 253 votos no Colégio Eleitoral, segundo projeções, e com os 20 da Pensilvânia, superaria a marca de 270, necessária para conquistar a Presidência.

Biden está atrás na Geórgia, com margem de 0,3 ponto percentual: o placar lá é de 49,5% de Trump contra 49,3% do democrata. Mas Biden está em trajetória de alta, e a diferença entre os dois é de 22.576 votos.

Na Geórgia, ele está empatado em pontos percentuais: 49,4%. Trump lidera com 1.805 votos a mais, mas Biden segue subindo de forma constante. A Geórgia dá direito a 16 votos no Colégio Eleitoral. Com isso, Biden precisaria de mais um estado.

Para a agência Associated Press, o democrata já pode contar com Arizona, o que pode fazer com que a agência declare a vitória de Biden assim que ele confirme uma vitória na Geórgia.

Já outros meios, como AFP, CNN e New York Times não consideram o Arizona como vitória de Biden e preferem esperar um pouco mais. Nos EUA, não há um órgão federal para apontar o vencedor.

Cada estado faz sua apuração, e a imprensa acaba ficando responsável por fazer projeções a partir dos resultados e apontar o vencedor, no momento em que os números mostrarem que um adversário não tem mais condições de ultrapassar o outro.

Previous ArticleNext Article