Governador eleito, Ratinho Júnior fala em política moderna, sem raiva ou perseguição

Fernando Garcel, Roger Pereira e Francielly Azevedo


Ratinho Júnior (PSD), eleito governador já no primeiro turno, chegou a sede do Tribunal Regional Eleitoral, em Curitiba, por volta das 19h10, e concedeu uma entrevista coletiva para a imprensa que o aguardava no local.

“Esse é um momento de ruptura na política no Brasil. Foi um recado muito forte para os profissionais da política. Foi uma mudança de conceito, na minha avaliação, que foi demonstrado nas urnas hoje”, disse.

Ratinho também elogiou os senadores eleitos, Professor Oriovisto e Flávio Arns, e declarou que agora o Paraná terá protagonismo em Brasília, uma vez que divergências entre os antigos senadores trouxeram prejuízos ao Estado.

“Com nossa bancada federal, com os nossos senadores, o Paraná terá um momento único. O Paraná será protagonista no cenário federal. Começa a partir de hoje um novo momento, de uma política moderna, sem raiva e sem perseguição”, declara o governador eleito.

Ratinho Júnior

Natural de Jandaia do Sul, o filho do apresentador de televisão Carlos Massa, o Ratinho, foi moldado para a política desde a juventude. Empresário, que cuida dos negócios de comunicação (entre outros) de seu pai, Carlos Massa Junior foi eleito deputado estadual pela primeira vez aos 21 anos, em 2002. Em 2006, foi eleito deputado federal, exercendo dois mandatos. Em 2012, disputou a eleição para a prefeitura de Curitiba, vencendo o primeiro turno, mas sendo derrotado por Gustavo Fruet (PDT) no segundo turno. Em 2014 voltou para a Assembleia, sendo o deputado mais votado e construindo uma bancada de 12 parlamentares, o que já lhe credenciou como grande liderança polícia no estado e potencial candidato ao governo.

Foi secretário de Desenvolvimento Urbano do governo Beto Richa (PSDB) e era cotado como candidato natural à sucessão do tucano. O PSDB, no entanto, acabou coligando com o PP de Cida Borghetti. Ratinho perdeu o apoio oficial do governador, mas pode, assim, fazer uma campanha propondo mudanças, dizendo que iria romper com o modelo de governo do Paraná, marcado pelas oligarquias familiares.

Com os escândalos de corrupção envolvendo o governo Richa que foram divulgados durante a campanha eleitoral, Ratinho livrou-se do ônus de ter Richa na chapa e, apesar de ter participado do governo do tucano, passou a crescer nas pesquisas de intenção de voto, o que lhe permitiu a vitória no primeiro turno.

Tendo como vice o presidente da Federação do Comércio do Paraná, Darci Piana e recebendo apoio declarado do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Ratinho Junior adotou um discurso de centro-direita em sua campanha eleitoral, defendendo a modernização do estado através de incrementos tecnológicos no agronegócio, indústria e comércio. “Vamos iniciar a transformação do Brasil através do Paraná, fazendo daqui o estado mais moderno do país”, sustentava e todas as suas entrevistas e debates.

Ratinho concedeu entrevista ao Paraná Portal. Confira as propostas:

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="560440" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]