Depredação em Brasília causou prejuízo de R$ 2,5 milhões, segundo ministérios

Mariana Ohde


O confronto ocorrido durante o ato Ocupa Brasília, na última quarta-feira (24), gerou um prejuízo de cerca de R$ R$ 2,462 milhões. O levantamento foi realizado pelos ministérios que tiveram suas sedes depredadas – os da Agricultura, Planejamento e Ciência, Tecnologia e Inovação, Cultura, Meio Ambiente, Educação, Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Minas e Energia e Turismo.

A Advocacia-Geral da União (AGU) solicitou, com urgência, um levantamento dos prejuízos a órgãos públicos após a manifestação. A medida tem o objetivo de embasar ações judiciais para reparação de danos ao patrimônio público.

O ministério que soma os maiores prejuízos até o momento é o da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – levantamento divulgado pela pasta estima o valor em R$ 1.105.057,90. Seriam custos com mobiliário, infraestrutura predial e serviços de mão de obra. Além dos danos materiais, houve um registro de atendimento a um servidor que foi atingido por estilhaços de vidro, mas com escoriações leves.

A sala de reuniões do Conselho Nacional de Política Agrícola (CNPA) foi a mais atingida pelos manifestantes. A mesa com 32 lugares ficou completamente destruída pelo fogo e todo o sistema de som e o projetor foram queimados.

No Ministério do Planejamento, responsável pelos blocos K, O e C da Esplanada nos Ministérios, os estragos totalizam R$331.000. Os maiores prejuízos, de mais de R$ 140 mil, foram registrados em mobiliário, seguido de computadores, com R$ 55 mil.

Quebra de vidraças e de móveis também ocorreram no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A conta dos estragos no prédio ficou em exatos R$ 522.599,04.

Prejuízos

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="433887" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]