Governo anuncia fim da greve antes de chegar a acordo com servidores

Angelo Sfair

ratinho junior governo fim da greve servidores não receberam proposta Foto Rodrigo Felix LealANPr

O governo do Paraná anunciou nesta sexta-feira (12) o fim da greve dos servidores estaduais. No entanto, os trabalhadores alegam que ainda não receberam uma proposta formal.

Por meio de um anúncio unilateral, o Palácio Iguaçu informou que o governador Ratinho Junior (PSD) “confirmou a implantação da data-base, com a primeira parcela de 2% liberada em janeiro de 2020”.

Ao todo, o governo concederia uma reposição de 5,08%. A oferta, no que diz respeito a reajustes nos vencimentos, é a mesma que já havia sido recusada pelos servidores em assembleias nesta semana.

O Fórum das Entidades Sindicais (FES), que coordena a greve estadual desencadeada há 18 dias, informou por meio de nota que ainda não recebeu qualquer proposta do governo. Portanto, não há definição sobre o fim da greve.

Estão marcadas para este sábado (13) assembleias que definirão os rumos da paralisação.

Entre as categorias que discutem a greve neste final de semana está a dos professores e trabalhadores em educação. A APP-Sindicato, entidade que representa a categoria, marcou uma assembleia-geral para amanhã, às 8h30, na frente do Palácio Iguaçu.

Servidores não confirmam o fim da greve e aguardam proposta

A coordenação do Fórum das Entidades Sindicais (FES) passou a tarde na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na tentativa de avançar as negociações com deputados interlocutores do governo.

O comando geral da greve informou, por meio de nota, que o fim da paralisação “só pode ser definido em assembleias das categorias”.

Governo fala em “grande esforço” e punições

Ao anunciar unilateralmente o fim da greve dos servidores, o governador afirmou que o estado “está fazendo um grande esforço para honrar o compromisso de implantação da data-base”.

Ratinho Junior justificou que houve queda do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre. Além disso, o governo afirma que as receitas com impostos e transferências federais caíram.

A proposta anunciada pelo Palácio Iguaçu define que a reposição das aulas na rede estadual deve acontecer durante o período de recesso escolar. “Caso não haja reposição de horas e aulas, haverá aplicação de faltas, com desconto em folha dos dias parados”, anunciou o governo.

O Palácio Iguaçu também anunciou a realização de concursos públicos. Serão selecionados 2.560 policiais militares, 400 policiais civis (50 delegados, 50 papiloscopistas e investigadores), 96 peritos e médicos para a Polícia Científica, 1.269 agentes de cadeia, 400 profissionais da Saúde, 80 para a Agência de Defesa Agropecuária e 988 professores.

O calendário de contratações não foi anunciado pelo governo.

Previous ArticleNext Article