Governo do Paraná autoriza concurso para Polícia Civil, Militar e Depen

Vinicius Cordeiro

ratinho junior concurso polícia civil militar do paraná

O governo do Paraná autorizou o concurso para a Polícia Militar, Civil e Depen (Departamento Penitenciário) nesta quarta-feira (4). Ao todo, são 3.038 vagas ofertadas. O edital ainda está sendo elaborado, mas a expectativa é que o concurso seja realizado ainda neste ano.

Serão 2 mil policiais militares e 400 bombeiros. Já na Polícia Civil, serão 50 delegados, 300 investigadores e 50 papiloscopistas. Por fim, 238 agentes penitenciários vão fechar essa ampliação da segurança pública do estado.

“Segurança é prioridade número 1 e para isso precisamos de novos contingentes e equipamentos. Também passamos a prender mais, o que obriga a abertura de mais espaço no sistema prisional. O planejamento de contratações é nesse sentido, aliado a construção de novas casas de custódia para atender toda essa demanda”, avaliou o governador Ratinho Junior.

Além do pessoal, também são esperados novos investimentos nas viaturas e em helicópteros. Por fim, Ratinho Junior também assinou um decreto que autoriza as progressões de 143 policiais militares. Em julho, foram outros 1.582 policiais, civis e militares, que foram beneficiados com os avanços de carreiras.

OUTRO CONCURSO

Em agosto, foram abertas as inscrições de outro concurso público, mas o período de inscrição vai até às 17h da próxima terça-feira (10). Para se inscrever, é preciso acessar o site do Núcleo de Concursos da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e pagar a taxa de R$ 155.

O Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar oferta 90 vagas para cadete da Polícia Militar e 20 para bombeiros, com subsídios entre e R$ 3.213,61 e R$ 4.139,14. Com a conclusão do curso e promoção ao posto de segundo tenente, o valor pode chegar a R$ 9.544,44.

AGENTES PENITENCIÁRIOS

Em nota, o SINDARSPEN (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná) destaca a importância do reforço dos 238 agentes de cadeia para atuar no estado. Entretanto, o sindicato revela que a quantidade está aquém da necessidade para suprir a falta de servidores no sistema penitenciário do Paraná.

O sindicato ainda revela que não existe um concurso público para agente penitenciário no estado há seis anos. Segundo o SINDARSPEN, desde 2010, o número de agentes caiu. Por outro lado, o número de presos no Paraná subiu de 14 mil para 22 mil. Dessa forma, o SINDARSPEN diz que há necessidade de contratação imediata de 4.300 agentes e de mais 2.100 para trabalharem nas unidades previstas para serem inauguradas pelo governo.

Para fechar, o sindicato disse que continuará lutando pela implantação de um Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS). “Esperamos que a mesma atenção dispensada pelo governador às Polícias Civil e Militar seja dada também aos servidores penitenciários”, diz o texto.

ELOGIOS A RATINHO JUNIOR

A abertura do concurso caiu bem no Paraná. Para o deputado Hussein Bakri, líder do Governo na Assembleia Legislativa, os concursos públicos vão na contramão do que acontece nos outros estados.

“Vivemos um cenário nacional incerto. Recai sempre na caneta do administrador qualquer sobressalto na folha de pagamento, mas o governador Ratinho Junior tem feito esse esforço”, disse.

Já o coronel Péricles de Matos, comandante-geral da Polícia Militar, também elogiou a ação. “É um momento restaurador para a segurança pública. Isso demonstra o interesse do Estado em fazer com que as ações sejam práticas”, completou.

Por fim, o delegado-geral Silvio Rochemback, da Polícia Civil, também entoou o discurso. “É o compromisso do governador em ter a melhor segurança pública do País. Não adianta ter a melhor tecnologia sem recursos humanos bem qualificados e capacitados”.

Previous ArticleNext Article