Greca critica governo Bolsonaro e diz que gestão Temer enviou mais verbas a Curitiba

Redação

greca curitiba

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), usou a ideia da construção do metrô na cidade para criticar os repasses do governo federal do município. A implantação do modal já é descartada pelo atual prefeito nos últimos anos, mas foi reforçada nesta segunda-feira (2) ao falar sobre a gestão chefiada por Jair Bolsonaro (sem partido). Sem citá-lo diretamente, Greca fez comparação com a administração do ex-presidente Michel Temer (PSDB), que ocupou o cargo por cerca de dois anos e meio após o impeachment de Dilma Rousseff (PT).

Em dois anos, o governo federal mandou apenas R$ 9 milhões para Curitiba. Então sonhar com metrô seria criar um buraco interminável e um rombo nas finanças insustentável. Quando mandou o governo Temer? R$ 189 milhões. Faça-se o registro para que se perceba que o Brasil inteiro dá e Brasília tira“, disparou Greca em discurso da retomada dos trabalhos na CMC (Câmara Municipal de Curitiba).

Apesar do impacto da pandemia aos cofres públicos, o prefeito de Curitiba disse que a atual gestão tem um desempenho ‘extraordinário’ após assumir o mandado reerguer a estrutura da cidade diante das ‘ruínas financeiras’ que foram herdadas.

Ele ainda ressaltou a ajuda de parceiros internacionais, no qual a administração municipal faz um ‘trabalho de base’ para obter recursos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), New Development Bank (NDB), conhecido como o banco dos BRICS – grupo de países emergentes no qual o Brasil faz parte, e o Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

Entre as conquistas celebradas por Greca estão a entrega das estações-tubo que permitiram o funcionamento do Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho. O novo ônibus permite a integração de 18 linhas e faz a ligação inédita entre o Norte e o Sul da cidade pela Linha Verde (BR-476).

GRECA DÁ MÉRITO DA VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 AO GOVERNADOR JOÃO DORIA

Rafael Greca tem sido muito criticado pela demora no avanço da vacinação contra a covid-19. Nas redes sociais, é cobrado sobre o tema em qualquer publicação sobre outro assunto. Contudo, aponta que a lentidão do governo federal para o envio de mais doses exige a suspensão da campanha.

“Se o governo federal, com o governo estadual, tiver agilidade na entrega dos imunizantes, podemos vacinar 30 mil pessoas por dia. E não temos medo de trabalhar”, afirmou ele. “Louvor e mérito seja feito ao governo de São Paulo por esse grande esforço de pioneirismo na vacinação do Brasil”, completou Greca, dando mérito da agilidade da vacinação ao governador João Doria (PSDB), com quem mantém boa relação.

Conforme os últimos dados, divulgados neste domingo (1/8), Curitiba vacinou 1.029.191 de pessoas com a primeira dose ou com a vacina da Janssen (dose única). Destas, 388.488 pessoas tomaram a segunda dose. Ao todo, 70,8% da população adulta de Curitiba já recebeu ao menos uma dose.

Até o momento, a capital paranaense recebeu 1.577.604 doses de vacinas, sendo 1.007.657 para primeira dose, 531.767 para segunda dose e 38.180 doses de aplicação única. Nesse montante já estão contabilizados os 5% de reserva técnica.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="780223" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]