Curitiba não quer comprar vacinas para furar fila na vacinação contra covid-19, diz Greca

Redação

rafael greca curitiba vacinas multas covid-19

O prefeito Rafael Greca (DEM), de Curitiba, voltou a defender as vacinas contra a covid-19. Ele discursou nesta segunda-feira (1) durante a abertura das sessões plenárias da 18ª legislatura da Câmara Municipal, e apontou que não há vacina do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e nem do governador João Doria (PSDB).

“Graças a Deus abandonaram a sandice de achar que a vacina da Fiocruz, do AstraZeneca e Oxford era a vacina do Bolsonaro e a vacina do [Instituto] Butantan era a vacina do seu desafeto, o governador Doria. Não há vacina de ninguém. Há vacinas do Brasil. E há vontade do Brasil de ter a sua imunidade. E há o direito dos brasileiros de serem imunizados”, completou ele.

Greca ressaltou que o município conta com um fundo de R$ 500 milhões que podem ser usados na compra dos imunizantes. Além disso, apontou que não deseja adquirir as vacinas para que haja casos de fura-fila na capital paranaense, como já foi registrado em Cascavel e São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

“A covid-19 ainda não foi derrotada. A insistência na imediata imunização de Curitiba e do Brasil é proporcional à minha ansiedade pela urgente retomada econômica. Eu não quero comprar vacinas para furar fila. Não quero comprar vacinas para privilegiar os sócios do [Graciosa] Country Clube ou do Clube Curitibano. Quero comprar vacinas para aplicar o Plano Nacional de Imunização com eficiência e rapidez na grande cidade. [Mas] ainda não as temos, não temos quem vendê-las”, disse ele.

Greca ressaltou que Curitiba dispõe de 901 leitos exclusivos para atender pacientes com confirmação ou suspeita de covid-19. São 371 UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e e 530 vagas em enfermarias. Conforme o boletim da SMS (Secretaria Municipal da Saúde), 83% dos leitos de UTI estão ocupados, restando 62 livres. Curitiba acumula 2.629 mortes e 128.714 casos de coronavírus.

QUEM PARTICIPA DE FESTAS E AGLOMERAÇÕES É CRIMINOSO CIVIL, DIZ GRECA

Além da defesa pelas vacinas, Rafael Greca também apontou que a prefeitura de Curitiba vai intensificar os trabalhos de fiscalização. Conforme os dados da atual administração, são mais de 35 ações de inspeções nos estabelecimentos de toda a cidade para verificar se há aglomerações ou negligência nas medidas contra a covid-19.

Ele ainda lembrou sobre a aprovação da lei municipal 15.799/2021, que permite multar qualquer pessoa ou empresa que desrespeitem medidas contra a covid-19.

Peço à Defesa Social e à Guarda Municipal que multem não só os donos dos estabelecimentos, mas também os criminosos civis que consentem em ir a festas e se aglomerar. Se os neurônios não funcionam, que arda o bolso. É a minha visão. A multa é um instrumento pedagógico de instrução para a cidadania“, aponto Greca.

Por fim, ele ainda desejou que o novo mandato tenha prioridade na saúde pública de Curitiba, mas que a Câmara siga no trabalho em conjunto para melhorias nos serviços públicos e na sustentabilidade.

“Odiamos a burocracia. Xô, tranqueira. Preciso da Câmara em um comportamento civilizado e republicano, dentro das boas lições iluministas que construíram a moderna democracia para construir a Curitiba que merecemos. Se Deus, quiser, daqui a quatro anos ela será melhor, mais bonita e mais justa do que a cidade que temos hoje”, finalizou.

Previous ArticleNext Article