Política
Compartilhar

Guedes nega pedido de demissão a Bolsonaro e fala em briga com ala política

O ministro Paulo Guedes, da Economia, negou que tenha pedido para deixar o cargo. Em pronunciamento ao lado de Jair Bols..

Vinicius Cordeiro - 22 de outubro de 2021, 16:49

(Foto: Antonio Molina /Fotoarena/Folhapress)
(Foto: Antonio Molina /Fotoarena/Folhapress)

O ministro Paulo Guedes, da Economia, negou que tenha pedido para deixar o cargo. Em pronunciamento ao lado de Jair Bolsonaro, ele ressaltou que falta tolerância ao atual governo e que a economia brasileira está ajustada, além de agradecer a confiança do presidente.

"Não pedi demissão em nenhum momento. Em nenhum momento o presidente insinuou qualquer coisa semelhante. Quando eu me referi ao André Esteves 10 em política fiscal e 0 em assistência aos mais frágeis. Eu estou feliz em furar o teto? Não estou. Eu detesto furar o teto", completou ele.

DEMISSÕES NO MINISTÉRIO DA ECONOMIA EXPÕE CRISE COM PAULO GUEDES

Quatro secretários do Ministério da Economia pediram demissão alegando motivos pessoais. Bruno Funchal, secretário do Tesouro e Orçamento, Jeferson Bittencourt, secretário do Tesouro Nacional, Gildenora Dantas, secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, e Rafael Araujo, secretário-adjunto do Tesouro Nacional, pediram o desligamento da pasta por discordar das manobras feitas para atender o acréscimo do auxílio.

Para Paulo Guedes, o movimento foi natural. Vale lembrar que a equipe econômica vinha sofrendo pressão do Planalto para aumentar os valores dos benefícios sociais.

"O barulho é tão ensurdecedor que às vezes eu preciso ficar calado”, disse Guedes sobre não ter se pronunciado antes.

O que se sabe até agora é que o ex-ministro Esteves Colnago, responsável pela pasta de Planejamento durante o governo Michel Temer, ocupará a vaga de Bruno Funchal na secretaria especial de Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia.