Política
Compartilhar

Haddad se posiciona como líder da oposição e pede coragem a seus eleitores

Candidato derrotado no segundo turno das eleições presidenciais, Fernando Haddad (PT) fez um pronunciamento, na noite de..

Roger Pereira - 28 de outubro de 2018, 20:36

SÃO PAULO, SP, 28.10.2018 - Fernando Haddad, Coletiva - O candidato à presidência Fernando Haddad (PT), concedeu entrevista coletiva em um hotel na Zona Sul da Capital para falar sobre a perda das eleições 2018. - (Foto: Jales Valquer/FramePhoto/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 28.10.2018 - Fernando Haddad, Coletiva - O candidato à presidência Fernando Haddad (PT), concedeu entrevista coletiva em um hotel na Zona Sul da Capital para falar sobre a perda das eleições 2018. - (Foto: Jales Valquer/FramePhoto/Folhapress)

Candidato derrotado no segundo turno das eleições presidenciais, Fernando Haddad (PT) fez um pronunciamento, na noite deste domingo, em São Paulo, em que não parabenizou o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse que terá a responsabilidade de fazer oposição ao próximo governo e pediu para que seus eleitores não tenham medo do que está por vir, pois terão porta-vozes para defendê-los.

Haddad agradeceu aos mais de 45 milhões de votos que recebeu neste domingo, cumprimentou os partidos e militantes que o apoiaram e disse que “uma parte expressiva do povo brasileiro divergiu da maioria e precisa ser respeitada. Essas pessoas têm um outro projeto de Brasil na cabeça e merecem respeito”.

O candidato derrotado comentou que as pessoas que votaram nele, muitas não simpatizantes do PT, perceberam o que estava em jogo nesta eleição “E muita coisa estava em jogo: As instituições estão sendo colocadas à prova a todo instante, começou em 2016 com a retirada da presidente Dilma, seguiu com a prisão injusta de Lula e a proibição de sua candidatura. Mas nós seguimos, levando a mensagem que vale a pena levar a todos os brasileiro: de que a soberania nacional e a democracia estão acima de todos nós”, disse Haddad.

Para ele, seu grupo política tem, agora, “uma tarefa enorme que é, em nome da democracia, defender o pensamento e as liberdades desses 45 milhões de brasileiros. Temos a responsabilidade de fazer uma oposição, colocando os interesses do povo brasileiro acima de tudo, pois temos compromisso com a prosperidade deste país o compromisso em manter a democracia, em não aceitar provocações, em não aceitar ameaças”.

“Verás que um professor não foge à luta”, disse Haddad, afirmando que é o momento de conversar com as pessoas, reconectar-se com as bases, reconectar-se com os pobres do Brasil, para redesenhar um plano político e fortalecer o exercício da cidadania. “Talvez o Brasil nunca tenha precisado mais da nossa cidadania que agora. Coloco a minha vida à disposição deste país”, disse o candidato derrotado, que encerrou seu discurso com uma mensagem: “Para os que sentem angustia e medo: não tenham medo. Nós estaremos aqui. Nós estamos juntos. Estaremos de mãos dadas com vocês. Contem conosco, coragem a vida é feita de coragem”.