Japonês da Federal se filia ao Patriotas, mas nega candidatura

Fernando Garcel e BandNews FM Curitiba


Aposentado desde fevereiro, após 40 anos na Polícia Federal, o ex-agente Newton Ishii, conhecido como o ‘Japonês da Federal’ assinou ficha de filiação ao partido Patriotas na quarta-feira (4). Ele ficou famoso a partir de 2014 por acompanhar presos da Operação Lava Jato.

A filiação antes do dia 7 de abril, conforme exige a lei eleitoral, garante ao ex-agente a possibilidade de lançar-se candidato em outubro. No entanto, a candidatura pode ser registrada ainda até o dia 15 de agosto. Por enquanto, Ishii nega que será candidato. “Só me filiei, amigo, não vou ser candidato”, disse em mensagem.

Operação Sucuri

O agente da Polícia Federal (PF) foi condenado por facilitação de contrabando a quatro anos e dois meses de prisão no processo da Operação Sucuri, deflagrada em 2003. Ele ficou quatro meses preso, mas recorreu e respondeu em liberdade. O agente chegou a ser afastado dos serviços pela própria Polícia Federal, sem prejuízo em seus vencimentos, mas o Tribunal de Contas da União determinou seu retorno ao trabalho. Ishii foi Chefe do Núcleo de Operações da Superintendência da PF do Paraná e responsável pela escolta de presos.

Segundo a denúncia, os servidores públicos “se omitiam de forma consciente e voluntária, de fiscalizar os veículos cujas placas lhes eram previamente informadas, ou realizavam fiscalização ficta, abordando os veículos para simular uma fiscalização sem a apreensão de qualquer mercadoria“.

Em março de 2016, Ishii teve um recurso negado pelo Superior Tribunal de Justiça, que manteve a sentença. Condenado ao regime semiaberto, não ficou muito tempo na prisão. Ele usou tornozeleira eletrônica por alguns meses, mas teve parte da pena abatida por tempo de trabalho.

Previous ArticleNext Article