Política
Compartilhar

Justiça determina prisão de homem que matou tesoureiro do PT

O investigado é o bolsonarista e policial penal federal Jorge Guaranho, que está internado em um hospital de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Redação - 11 de julho de 2022, 13:30

(Foto: Reprodução/Twitter)
(Foto: Reprodução/Twitter)

A Justiça determinou nesta segunda-feira (11) a prisão preventiva do homem que matou a tiros o tesoureiro do PT, no final de semana, em Foz do Iguaçu. O anúncio foi feito em coletiva dada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR). O investigado é o bolsonarista e policial penal federal Jorge Guaranho, que está internado em um hospital da cidade.

Segundo a determinação, “o flagrado coloca em risco a ordem social", pois praticou atos de violência extrema, aparentemente por motivos de cunho político. A decisão pontua ainda que, por ser policial, ele deveria agir em prol dos interesses da coletividade.

Marcelo Aloizio de Arruda, tesoureiro do PT morto a tiros, também trabalhava na área da segurança pública, como guarda municipal de Foz do Iguaçu.

As investigações do caso serão comandadas pela delegada Camila Cecconello, chefe da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Paraná.

MORTE DO TESOUREIRO DO PT EM FOZ DO IGUAÇU

O guarda municipal e tesoureiro do PT, Marcelo Aloizio Arruda, foi assassinado com dois tiros de arma de fogo, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, durante sua festa de aniversário de 50 anos.

O salão de festas da ARESF (Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu) estava decorado com balões vermelhos e imagens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Cerca de 40 pessoas estavam no local. Segundo o boletim de ocorrência registrado na 6.ª Subdivisão Policial de Foz do Iguaçu, durante a festa, o bolsonarista Jorge Guaranho - que era desconhecido por todos e não estava convidado - chegou ao local armado, acompanhado de uma mulher e uma criança de colo, dizendo aos gritos: "Aqui é Bolsonaro!".

Aproximadamente 20 minutos depois, o agente penitenciário retornou ao local, desta vez sozinho, com a arma de fogo em mãos. A esposa do aniversariante, que é policial civil, se identificou mostrando o distintivo. O aniversariante também sacou uma arma para que o agressor recuasse.

Conforme narra o boletim de ocorrência, ignorando os avisos, Jorge Guaranho abriu fogo e efetuou vários disparos. Pelo menos dois acertaram Marcelo, que revidou a agressão e atirou contra o bolsonarista três vezes.

O guarda municipal e tesoureiro do PT chegou a ser socorrido, mas morreu logo depois. Já o policial penal federal está internado em estado grave, num hospital da cidade.