Lava Jato: após STF anular sentença de Moro, JFPR condena ex-gerentes da Petrobras

Redação

petrobras tem ações em queda

Cinco pessoas foram condenadas novamente na Lava Jato após o Supremo Tribunal Federal ter anulado a primeira sentença do ex-juiz Sergio Moro. O processo está relacionado à 40ª fase da operação.

O novo titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, Luiz Antônio Bonat, condenou dois ex-gerentes da Petrobras e três executivos das empresas Andrade Gutierrez, Liderrol e Akyzo por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Na primeira sentença, o STF considerou que réus delatados e delatores deveriam ter entregue as alegações finais simultaneamente para garantir o direto à ampla defesa.

Na ação decorrente da Operação Asfixia, de maio de 2017, eram investigados o pagamento de mais de R$ 29 milhões em propinas em contratos da Petrobras.

Os ex-gerentes da estatal Márcio de Almeida Ferreira e Edison Krummenauer foram considerados culpados por corrupção e lavagem de dinheiro. Um terceiro ex-gerente da Petrobras foi absolvido.

Os outros três executivos condenados foram Luis Mario da Costa Mattoni (Andrade Gutierrez), Paulo Roberto Fernandes (Lidrerroll) e Marivaldo do Rozario Escalfoni (Akyzo).

Poucas diferenças foram notadas entre as sentenças despachadas por Sergio Moro e Luiz Antônio Bonat. Existem pequenas alterações na forma como os magistrados fizeram a dosimetria da pena.

Os condenados também terão que pagar mais de R$ 25 milhões a título de reparação de danos para a Petrobras. Aos condenados ainda cabem recursos.

Previous ArticleNext Article