Política
Compartilhar

Lava Jato denuncia executivos do Grupo Tenaris/Techint por corrupção na Petrobras

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná denunciou nesta quarta-feira (3) 11 pessoas, executivos e agentes ligados ao Grupo..

Redação - 04 de junho de 2020, 14:24

Sede do Ministerio Publico Federal em Curitiba. Procuradoria da Republica no Paraná.
Foto: Geraldo Bubniak/AGB
Sede do Ministerio Publico Federal em Curitiba. Procuradoria da Republica no Paraná. Foto: Geraldo Bubniak/AGB

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná denunciou nesta quarta-feira (3) 11 pessoas, executivos e agentes ligados ao Grupo Tenaris/Techint, por pagamento de mais de 10 milhões de dólares em propinas ao ex-diretor da Petrobras, Renato Duque. Conforme o MPF (Ministério Público Federal), os crimes ainda envolvem nove contratos celebrados por uma empresa do Grupo, Confab Industrial SA, com a Petrobras que somaram R$ 2,6 bilhões entre 2007 e 2010.

As investigações da Lava Jato apontam que o Grupo Techint não somente pagou valores a agentes públicos brasileiros para obter os contratos de prestação de serviços e fornecimento de produtos, mas influenciou a política de negócios internacionais da Petrobras.

As apurações contaram com uma cooperação jurídica internacional, o que disponibilizou quebras de sigilo bancário, bloqueios de valores e transferências de investigação à força-tarefa. Com isso, foi descoberto um complexo sistema de pagamentos ilegais por meio de contas estrangeiras em nomes de empresas offshores (que contam com menor valor de tributação).

Conforme a denúncia, os intermediários dos pagamentos agiam, na prática, como ponto de passagem do dinheiro das empresas do Grupo até Renato Duque, então diretor de Serviços da Petrobras.

“O esquema envolvia muitos agentes e extrapolou a mera prática criminosa de corrupção de agentes públicos, afetando diretamente a política de negócios da Petrobras, corrompendo o devido processo licitatório e a garantia da ampla concorrência, fundamental quando se trata de grandes contratos públicos", avalia o procurador da República Marcelo Ribeiro de Oliveira.

LAVA JATO DENUNCIA ESQUEMA DE CORRUPÇÃO ENTRE GRUPO TENARIS/TECHINT E PETROBRAS

De acordo com a denúncia da Lava Jato os acusados ofereceram e pagaram valores ilegais que correspondem a 0,5% dos contratos celebrados entre a Confab Industrial e a Petrobras. Isso resultou no pagamento de pelo menos 6.007.219,49 de dólares e 3.666.020 francos suíços a Renato Duque.

A prática resultou em nove contratos de fornecimento de tubulações para a Petrobras, que totalizaram R$ 2.697.329.230,38.

A Petrobras podia realizar licitação internacional para a aquisição de bens e serviços da Confab, mas que, por influência de Duque, a estatal manteve a política de negociação direta na compra dos tubos. Em troca, o ex-diretor recebeu valores pagos sobre cada contrato firmado.

O pacto criminoso denunciado resultou em diversas contratações da Confab de forma direta, por inexibilidade de licitação, por ser a empresa a única em território nacional com condições de prestar os serviços.

Confira as 11 pessoas que a Lava Jato ofereceu denúncia contra:

  1. Benjamin Sodré Netto;
  2. Christina Maria da Silva Jorge;
  3. Hector Alberto Zabaleta;
  4. João Antônio Bernandi Filho;
  5. Luis Eduardo Campos Barbosa da Silva;
  6. Marco Antônio Orlandi;
  7. Marcelo Bernardes Orlandi;
  8. Marly Esteves;
  9. Nicolau Marcelo Bernardo;
  10. Roberto Caiuby Vidigal;
  11. Tulio César do Couto Chipoletti.